Di Resta garante que está “fazendo tudo que pode” para convencer Williams e ficar com vaga de Massa em 2018

Reserva da Williams e piloto da Mercedes no DTM, Paul di Resta também está na briga pela vaga de titular na equipe de Grove em 2018. E o escocês de 31 anos garantiu que está “fazendo de tudo” para convencer o time inglês de que é a melhor opção para formar dupla com Lance Stroll

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Paul di Resta assegurou que está "fazendo tudo que pode" para convencer a Williams de que merece um lugar na F1 em 2018. Atualmente, o escocês exerce o papel de piloto reserva do time inglês e atua também como comentarista de TV na Inglaterra, além da disputa do DTM. Di Resta, porém, teve a chance de voltar ao cockpit quando foi chamado às pressas para substituir Felipe Massa no GP da Hungria neste ano, depois que o brasileiro se sentiu mal durante os treinos. A oportunidade o fez entrar na briga por uma vaga na equipe, que também estuda manter Massa por mais uma temporada ou promover o retorno de Robert Kubica ao grid.

 
"Eles me conhecem bem o bastante. Eu estive por aqui durante um ano e meio", contou o piloto de 31 anos em entrevista ao site da revista inglesa 'Autosport'. "Eu tentei em envolver ao máximo com a equipe e continuo fazendo isso. Com o passar do tempo, deixei claro que seria um sonho para mim guiar o carro."
 
"Ainda estou correndo no DTM junto com as outras coisas que faço, mas estar aqui e diante de todas essas pessoas, é ainda mais importante. Aprendi com os meus erros do passado e agora tento fazer tudo direito e melhor. É um pouco de jogo de espera. Estou ativamente tentando fazer o máximo que posso para tentar me colocar nessa briga, porque existe a chance e esse é um momento importante para a equipe também", completou.
Paul di Resta substituiu Felipe Massa na Hungria neste ano (Foto: Williams)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Di Resta admitiu que a oportunidade na Hungria foi um ponto para si mesmo, bem como para a Williams e a própria F1. "Seria errado dizer que perdi a vontade. Mas quanto mais tempo fico longe da F1, mais difícil se torna voltar. Aquilo lá provou que, certamente, posso fazer o trabalho, embora eu sempre tenha acreditado nisso. Talvez apenas tenha mostrado ao mundo mais do que posso fazer."

 
Por fim, o piloto deixou claro que, apesar da ligação que possui com a Mercedes por meio de Toto Wolff, a prioridade é tentar a vaga de titular na Williams. "Todo o resto está em segundo plano agora", garantiu.
TORO ROSSO DEMOROU DEMAIS

REBAIXAMENTO SEGUIDO DE AFASTAMENTO DE KVYAT É TUDO, MENOS INJUSTO  

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube