Diretor adota discurso realista e afirma que McLaren deve ficar sem vitórias na temporada 2017 da F1

Zak Brown, novo diretor-executivo da McLaren e substituto de Ron Dennis, vê a equipe no rumo certo. Contudo, o norte-americano é realista e prefere não prometer resultados, considerando ser improvável que o time volte a vencer na F1 neste ano. A última vitória na McLaren foi conquistada no fim da temporada 2012, com Jenson Button, no GP do Brasil

 

Não será em 2017 que a McLaren voltará ao topo do pódio na F1. A previsão é de ninguém menos que o diretor-executivo da escuderia de Woking, Zak Brown. Em entrevista concedida ao jornalista Marshall Pruett, da revista 'Racer', o norte-americano entende que a próxima temporada vai representar mais um degrau na evolução dos trabalhos entre McLaren e Honda, mas que não será o bastante para vencer corridas. A última vez em que a McLaren comemorou uma vitória na F1 foi há mais de quatro anos, quando Jenson Button triunfou no GP do Brasil, em Interlagos.

 
De lá para cá, a escuderia britânica conseguiu alguns bons resultados aqui e ali, mas não mais sequer flertou com a vitória. O pódio conquistado por Button e Kevin Magnussen no GP da Austrália de 2014 — segundo lugar para o dinamarquês e terceiro para o britânico em Melbourne — foi o último brilho da McLaren, que depois mergulhou em um período de muitas dificuldades e reconstrução após retomar a parceria com a Honda a partir de 2015.

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Zak Brown é realista sobre as chances de vitória da McLaren em 2017 na F1 (Foto: Reprodução)
No ano passado, Fernando Alonso obteve o melhor resultado do time, sendo quinto lugar em duas corridas da temporada (GPs de Mônaco e dos Estados Unidos). Muito pouco para uma equipe lendária e multicampeã da F1.
 
Nesta nova temporada, além de Alonso, a McLaren terá à disposição o jovem belga Stoffel Vandoorne, efetivado a titular depois que Jenson Button deixou o grid do Mundial de F1 no ano passado.
 
Mas Brown entende que o projeto McLaren-Honda é de longo prazo e ainda deve levar mais algum tempo para render os dourados frutos das vitórias na F1. 
 
“Acho que todos estão frustrados, como você pode imaginar, e ansiosos para voltar ao caminho das vitórias. Não acho que nossos resultados nas duas últimas temporadas foram algo sobre o que a equipe está acostumada. Eles não gostam disso e querem mudar as coisas”, comentou.
 
“Ao mesmo tempo, um passo de cada vez. Então, enquanto estivermos fazendo as coisas certas para sermos bem-sucedidos, nós precisamos continuar subindo no grid. Mas eu gostaria de ser cauteloso, não vamos vencer nenhuma corrida neste ano, não vou antecipar as coisas. Estamos motivados para vencer corridas e títulos, mas não acho que nós vamos estar lá com nosso atual pacote global”, complementou Brown.

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

FELIPE GIAFFONE CRITICA E ESQUENTA DEBATE SOBRE F-TRUCK

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube