Diretor da Force India pede para FIA analisar “estratégia clara” da Manor em não colocar carros na pista

O diretor-adjunto da Force India, Bob Fernley, afirmou que considera uma "estratégia clara" por parte da Manor Marussia não ir à pista na Austrália e utilizar apenas um único carro na Malásia. Por causa disso, gostaria que a FIA investigasse o caso para tomar medidas necessárias

Assim como Bernie Ecclestone, Bob Fernley, diretor-adjunto da Force India, também acredita que a Manor Marussia não tinha qualquer intenção de usar um de seus carros na Austrália. Fernley foi mais longe e disse que colocar apenas um carro na pista na Malásia também foi planejado.
 
Segundo o diretor da equipe indiana, a FIA deveria analisar a situação e tomar as providências cabíveis. Isso tudo embora a Manor já tenha rejeitado a hipótese.
Bob Fernley conversa com a chefe-adjunta da Williams, Claire Williams (Foto: Getty Images)
"Não me surpreende. Não acho que preciso dizer algo. Creio que os poderosos vão lidar com isso apropriadamente. Havia um programa claro na Austrália, de ir até lá e não correr. Ao que me consta, nem havia combustível o bastante para tanto. Era uma estratégia clara", disse Fernley.
 
"Acho que na Malásia a estratégia era muito clara de correr um carro, e você tem que analisar se é esse o espírito que você está tentando alcançar. Isso é com a FIA e com a FOM. Não com a gente. A Manor está fazendo o melhor que eles podem. É com eles decidir as próprias táticas", concluiu o dirigente. 
 
Foi o próprio Fernley quem defendeu a decisão da Force India em barrar, num primeiro momento, a permissão especial vinda do Grupo de Estratégia da F1 que a Manor precisava para participar da temporada.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube