Diretor da Honda credita sucesso em 2019 a ano de transição com Toro Rosso

Diretor do projeto de F1 da Honda, Masashi Yamamoto se disse feliz e encorajado com o sucesso da fábrica em 2019 – já são duas vitórias até aqui com a Red Bull, além de quatro pódios, sendo um com a Toro Rosso. O dirigente também afirmou que a performance só foi possível devido ao ano de transição com a equipe de Faenza no ano passado

A Honda deu um passo importante no ano passado, depois que a McLaren encerrou o vínculo para o fornecimento de motores. Ao se associar à Toro Rosso, a fabricante japonesa teve a chance de desenvolver sem pressa ou pressão o seu motor e agora colhe os frutos desse trabalho: a Red Bull, pelas mãos de Max Verstappen, não só abriu o campeonato com um pódio na Austrália, como já tem duas vitórias na temporada 2019 – as primeiras desde que a marca de Sakura voltou à Fórmula 1 em 2015. Além disso, a equipe caçula dos energéticos foi ao pódio na Alemanha, algo que não acontecia há 11 temporadas. 
 
A ligação com a McLaren, que tinha como meta a reedição do acordo bem-sucedido do fim dos anos 1980, foi um fracasso. A equipe inglesa, que tinha em Fernando Alonso a maior estrela, não teve a paciência necessária para esperar a evolução dos nipônicos, e a parceria sucumbiu em meio às duras críticas feitas pelo espanhol ao longo de três temporadas. As quebras da unidade de potência e a falta de desempenho foram decisivas para o fim da vida em comum. 
Max Verstappen venceu na Áustria (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

Diretor do projeto da F1 da Honda, Masashi Yamamoto reiterou o orgulho de todos no Japão com o pódio da Toro Rosso na Alemanha – foi o primeiro pódio da equipe de Faenza desde a vitória de Sebastian Vettel no GP da Itália de 2008."O pódio de Daniil Kvyat foi muito positivo para nós, porque crescemos juntos no ano passado, mesmo passando por momentos difíceis", disse Yamamoto à versão italiana do site 'Motorsport.com'. "Fizemos um enorme esforço para melhorar junto com a Toro Rosso."

 
"Esse pódio foi apenas o segundo da história da Toro Rosso, o primeiro depois da grande vitória de Vettel em Monza. Foi realmente um grande passo para a equipe estamos orgulhosos por ter feito parte disso", completou.
 
O dirigente ressaltou que, após também os triunfos na Áustria e na Alemanha, o objetivo é alcançar as duas rivais, mas que essa performance não teria sido possível sem o ano de transição com a Toro Rosso na temporada passada.
 
"No ano passado, eu conversava sobre isso com Franz Tost [chefe da Toro Rosso]. Falamos sobre várias coisas e hoje só posso agradecer a ele e a equipe. Foi uma contribuição fundamental. As vitórias da Red Bull significam muito para nós. Agora podemos gerenciar o nosso motor muito bem. Melhor que no passado. O negócio é que todos os engenheiros estão encorajados pelas vitórias, e isso é realmente importante", acrescentou.
 

A Fórmula 1 atravessa um momento de pausa para as férias de verão na Europa, e volta às pistas somente em setembro, com o GP da Bélgica, em Spa-Francorchamps. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL.

 

Paddockast #29
ONE HIT WONDERS DO ESPORTE A MOTOR

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar