Diretor da McLaren mostra cansaço, fala em situação deprimente e critica Honda: “Não pode fazer as coisas assim”

Em meio aos rumores cada vez mais constantes de rompimento da parceria, a McLaren voltou a disparar contra a Honda depois da quebra que tirou a chance de Fernando Alonso somar o primeiro ponto para a equipe na temporada. Na visão de Zak Brown, tal situação não pode continuar

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

O amor já acabou há algum tempo. E a paciência que ainda sustenta um pouco da relação entre McLaren e Honda já está por um fio. Parece mesmo iminente o rompimento de uma aliança que nasceu com a promessa de reviver um casamento histórico e vitorioso, mas que cada vez mais caminha para um fracasso retumbante. Cansado de tantos problemas com o motor construído pela fábrica de Sakura nos últimos meses, Zak Brown, diretor-executivo da McLaren, já não esconde mais o cansaço. Ao falar sobre a situação “deprimente” para a equipe, o norte-americano deixou claro que não dá mais para continuar como está.

 
A gota d’água foi no último domingo (11), em Montreal. Fernando Alonso, mesmo em meio a tantas dificuldades, conseguia levar o McLaren MCL32 à zona de pontuação. Mas a chance de conquistar o primeiro ponto do time de Woking ruiu quando restavam duas voltas para o fim do GP do Canadá. O motor Honda, mais uma vez, deixou o espanhol a pé. Para amenizar mais uma frustração, Alonso foi para a galera e sentiu o calor da torcida canadense.
 
Mas a cabeça de Zak Brown continua quente, fruto de toda a insatisfação e cansaço diante de uma situação que parece não indicar chances de mudança.
O casamento entre Honda e a McLaren está cada vez mais perto do fim (Foto: Reprodução)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

“Fernando fez o trabalho próprio de um campeão do mundo e, novamente, o motor o impediu de conquistar um resultado melhor. É a mesma história de sempre. Algo que precisa de tempo para ser consertado de uma forma ou de outra, e [a Honda] não pode continuar fazendo as coisas assim”, disparou o dirigente em entrevista ao site norte-americano ‘Motorsport.com’.

 
“Acho que foi a primeira chance clara neste ano para poder marcar pontos. Bem, pontos, não, um ponto. Tínhamos a impressão de que íamos somar o primeiro ponto do ano, e com duas voltas para o fim, acabou. Realmente é um motor muito ruim e muito pouco confiável”, criticou Brown, insatisfeito por já saber de antemão que Alonso já vai largar em último no GP do Azerbaijão por conta da inevitável troca de motor.
 
“É deprimente para nós. Saber que você larga atrás antes mesmo de começar o fim de semana não é a forma que nós queremos correr. Tudo o que podemos fazer é seguir trabalhando nas melhorias. Nada mudou hoje, só a frustração que aumenta. Mas, como disse, temos de seguir juntos na mesma direção, e mais uma vez não fizemos isso”, bradou.
 
Brown entende que externar toda a frustração com a Honda é só uma forma de expressar todo o ponto de vista da McLaren e avisar que a situação é inaceitável. 
 
“Não quero repetir isso de novo e não acho que isso vá mudar muito. Só reforça nossa posição. Acho que eles sabem o que tem de fazer. Estão muito frustrados, preocupados. 400 milhões de pessoas estavam vendo o que acontecia, portanto não acredito que é preciso dizer isso mais vezes do que já estamos dizendo. Não sei a opinião dos seus diretores, mas acho que todo mundo pensa da mesma forma, que tudo só vai se resolver com trabalho duro. No entanto, por enquanto, tudo segue sem solução”, emendou o diretor da McLaren, que reforçou: a decisão sobre o motor da McLaren para 2018 deve ser tomada nas férias de verão.
O CANADÁ É PARA HAMILTON O QUE MÔNACO FOI PARA SENNA?

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube