Diretor da Pirelli foca em “estratégias alternativas” e aposta em 2018 de mais pit-stops: “O número médio deve ser dois”

Diretor de automobilismo da Pirelli, Mario Isola avaliou que a nova gama de pneus vai permitir mais pit-stops em 2018. Montadora italiana introduziu pneu hipermacio para próxima temporada do Mundial

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Satisfeita com os resultados obtidos no teste em Abu Dhabi, a Pirelli acredita que a F1 voltará a ter corridas com duas paradas. A fábrica italiana ampliou a gama de disponível de pneus, introduzido o hipermacio.
 
Em 2017, por conta de uma grande mudança no regulamento esportivo do Mundial, a Pirelli optou por uma abordagem mais conservadora, o que fez com que 15 das 20 etapas da temporada 2017 tivessem apenas uma parada.
 
Para o próximo ano, Mario Isola, diretor de automobilismo da Pirelli, acredita que será possível mudar isso. A meta da fábrica italiana é ter corridas com uma média de dois pit-stops.
Pneu hipermacio ganhou elogios no teste de Abu Dhabi (Foto: Pirelli)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

“Considerando que toda a gama é um pouco mais macia, além de termos o hipermacios, agora temos a opção de usarmos macios o bastante para mirar duas paradas”, disse Isola. “Acho que três paradas é um pouco demais, porque sabemos que pode ser um pouco confuso ter paradas demais. Vamos tentar fazer uma seleção para termos duas paradas ou uma das estratégias mais rápidas de duas paradas”, seguiu.
 
“Tem outra vantagem, com mais compostos e um passo mais macio, você dá aos times a possibilidade de projetar um carro que é mais gentil com os pneus, então você pode forçar o pneu para o lado mais macio”, comentou. “Esta é uma variável adicional que cabe aos times, e vamos dar a todos as mesmas oportunidades”, ressaltou.
 
O teste em Abu Dhabi marcou o primeiro contato dos pilotos com os pneus hipermacios, que foi avaliado por Lewis Hamilton como o melhor que a Pirelli produziu desde seu retorno à F1. Sebastian Vettel seguiu a linha do britânico e também elogiou o calçado.
 
De acordo com Isola, o pneu hipermacio foi 1s por volta mais rápido do que ultramacio, que, por sua vez, foi 0s4 mais rápido do que o supermacio.
 
Agora, a Pirelli tem até o dia 7 para indicar os pneus que vai disponibilizar no GP da Austrália, o primeiro da temporada, e Isola considera não optar com uma gama sequencial.
 
“Nós podemos pular um degrau ― então não somos obrigados a usar macio, supermacio e ultramacio, por exemplo”, explicou. “Vamos ajustar a escolha e a seleção dos compostos para ter certeza de que podemos criar estratégias diferentes. O número médio de pit-stops deve ser dois. Esta é a meta. Nós queremos estratégias alternativas”, concluiu.
FIM DE UMA GERAÇÃO

GIAFFONE: “BRASIL TEVE SORTE POR TER PILOTOS POR TANTO TEMPO NA F1”

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube