Diretor de Nürburgring vê GP da Alemanha ameaçado em 2017 e culpa atual status da F1 por afastamento do público

Diretor de Nüburgring, Carsten Schumacher afirmou que ainda não é possível garantir a realização do GP da Alemanha em 2017. Dirigente culpou o status atual da F1 e avaliou que é mais fácil pagar a taxa exigida por Bernie Ecclestone quando o autódromo está cheio

 
Originalmente, a prova de 2015 estava marcada para a pista de Nürburgring, obedecendo um esquema de revezamento em vigor desde 2008. Os proprietários do circuito, que mudou de dono recentemente, alegaram que não tinham dinheiro para pagar a taxa da FOM e não conseguiram um acordo com Ecclestone.
Nürburgring não sabe se volta à F1 em 2017 (Foto: Getty Images)
 Agora, Carsten Schumacher, diretor da tradicional pista alemã, afirma que o mesmo problema para aparecer para a edição 2017 da corrida.
 
“No momento, ainda é uma dúvida para todos se a F1 vai vir para Nürburgring em 2017”, disse Schumacher. “Acho que, em princípio, é possível organizar corridas da F1 na Alemanha, mas não nas atuais condições”, seguiu.
 
Na visão do dirigente, a condição atual da F1 está diretamente relacionada aos problemas enfrentados pelas praças para levantar os fundos necessários para as corridas. 
 
“A geração atual de pilotos não é compatível com aquela do passado”, opinou Carsten, acrescentando que a F1 “deve ser mais espetacular outra vez”.
 
“A condição geral mudou significativamente em comparação com a grande época de Michael Schumacher”, comentou. “Com 90 mil espectadores na pista, nós temos bem menos problemas para pagar a soma que Ecclestone exige”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube