Do domínio ao desastre: Ferrari perde 1s em Spa na comparação com 2019

Enquanto todos andaram mais rápidos no TL2 de 2020 do que no de 2019, a Ferrari andou para trás. A equipe perdeu 1s, despencou para a rabeira do grid e sofre até mesmo para acompanhar a cliente Alfa Romeo. A Williams virou rival direta

O GP da Bélgica de 2019 foi de ótimo desempenho da Ferrari. A equipe venceu pela primeira vez na temporada, fazendo bom uso da velocidade superior nas retas para triunfar com Charles Leclerc. 12 meses depois, tudo mudou: sem o motor que tanto a ajudou, a escuderia começa os treinos livres do fim de semana de 2020 na casa de 1s mais lenta do que em 2019.

A comparação entre os dois GPs mostra uma mudança extrema. Leclerc, que liderou o TL2 de 2019 com 1min44s123, foi 15° na mesma sessão de 2020. O tempo de 1min45s440 é nada menos do que 1s3 pior. Sebastian Vettel passa por drama parecido: o segundo lugar com 1min44s753 de um ano atrás virou 17° com 1min45s683 agora, 0s9 pior. Todos esses números ficam ainda mais alarmantes quando lembramos que os pneus deste ano são um degrau mais macio que os do anterior.

A variação vai completamente na contra-mão do visto em equipes rivais. Max Verstappen, mais rápido do dia com a Red Bull, tornou-se 1s6 mais rápido de um ano para o outro. Lewis Hamilton, por sua vez, encontrou 1s1 com a Mercedes.

F1; FÓRMULA 1; F1 2020; CHARLES LECLERC; FERRARI; GP DA BÉLGICA;
A Ferrari passou vergonha nos treinos livres em Spa (Foto: Pirelli)

O que torna o calvário da Ferrari ainda mais chocante é a comparação com equipes clientes. A Alfa Romeo, com o mesmo motor, andou melhor que a Ferrari: Antonio Giovinazzi surgiu em 13°, 0s6 melhor que Leclerc e 0s8 melhor que Vettel. Kimi Räikkönen foi 14°, também superando o monegasco e o alemão.

De forma quase surreal, a equipe com rendimento mais próximo do da Ferrari nesta sexta-feira foi a Williams. George Russell foi somente 0s023 pior que Leclerc, aparecendo em 16°. Bastou para superar Vettel, que ficou menos de 0s1 melhor que Nicholas Latifi.

E olha que a surra das rivais na Ferrari poderia ser ainda mais feia. A Haas, que em GPs anteriores andou em ritmo semelhante ao da Alfa Romeo, teve um dia de treinos livres marcado por problemas mecânicos. Kevin Magnussen e Romain Grosjean perderam o TL1 e metade do TL2. Ainda assim, a melhor volta da equipe, 1min45s834 com o francês, foi menos de 0s2 pior que a de Vettel.

Os números todos ajudam a explicar como o desempenho digno da Ferrari em 2019 era dependente do motor que acabou considerado irregular pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA). A equipe precisou desenvolver uma nova unidade de potência para 2020, agora cumprindo plenamente as normas, e acabou com uma SF1000 pouco competitiva em 2020.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar