Dono da Lotus, López vê risco “inaceitável” na luta das equipes menores pelas posições de ponta na F1

Dono da Lotus, Gerhard López afirmou que as equipes menores precisam se colocar em uma posição de “risco inaceitável” para poderem brigar pela ponta na F1. Dirigente comparou a situação atual da Williams ao momento vivido pela esquadra de Enstone entre 2012 e 2013

Dono da Lotus, Gerhard López acredita que a Williams vive hoje a mesma situação que o time de Enstone viveu nas temporadas 2012 e 2013, quando tentava furar o domínio das equipes grandes no topo da tabela da F1. 
 
Depois de duas temporadas somando bons resultados — com Kimi Räikkönen vencendo em Abu Dhabi (em 2012) e na Austrália (em 2013) e somando um total de 15 pódios —, a Lotus perdeu bastante rendimento também por conta de uma crise financeira, mas agora López acredita que as coisas estão voltando aos trilhos. 
Gerhard López acredita que a Williams vive fase semelhante a da Lotus em 2012 e 2013(Foto: Alastair Stanley/Lotus)
 “O que eu não faria novamente, talvez, é que quando você é quarto ou quinto, tentar brigar pelo primeiro lugar”, disse López à publicação germânica ‘Auto Motor und Sport’. “A Williams está agora na mesma situação que nós estávamos dois anos atrás. Para tentar ser terceiro, você precisa se colocar em uma posição de risco inaceitável”, ponderou.
 
Um dos críticos mais fervorosos da distribuição de renda na F1, López também citou os relatos da mídia sobre as dificuldades financeiras da Lotus. No início do ano, a cobertura apontava para uma saída iminente do Mundial, mas agora os rumores são de que o time será vendido para a Renault.
 
“Antes, nós não podíamos contar. Agora dizem que nós estamos quebrados, só porque nós só gastamos aquilo que temos”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube