Em franca ascensão, Vandoorne supera Alonso na classificação e recorda piloto que assombrou na F2 em 2015

Stoffel Vandoorne precisou de tempo, mas finalmente aflorou na F1. Os bons resultados recentes pegaram muita gente de surpresa, mas nem deveriam ser chocantes. Para alguém que dominou a F2 com extrema facilidade em 2015, brigar de igual para igual com Fernando Alonso não parece tão absurdo assim

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Stoffel Vandoorne passou um semestre inteiro sem causar grande alarde na F1. Substituto de Jenson Button, o belga partiu para sua primeira temporada completa no pior momento possível: seu processo de adaptação iria acontecer à luz de mais um fiasco da Honda, que não permitia grande competitividade por conta do motor deficitário. Por mais que Vandoorne tentasse, seria muito difícil fazer algo de maior destaque. O tempo passou e, chegado outubro, a evolução do belga está clara para todos. Depois do sétimo lugar em um circuito de alta velocidade como Sepang, Stoffel finalmente começou a comprovar seu alto nível.
 
A boa fase surpreendeu muita gente. Quando se pensa na chance de bons resultados da McLaren em 2017, se pensa em Fernando Alonso – e não há nada de errado nisso. A questão é que Vandoorne é tão capaz quanto o espanhol, mas precisava apenas de um tempo para se adaptar e crescer em um momento de dificuldade.
Stoffel Vandoorne foi ótimo na Malásia (Foto: McLaren)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Quem acompanha Stoffel a mais tempo sabe disso. Na temporada 2015 da F2, então GP2, não teve para mais ninguém: o belga passou o trator, vencendo sete corridas no ano, chegando perto de somar o dobro de pontos do vice Alexander Rossi. O desempenho bastou para muita gente lamentar a ausência de Vandoorne na F1 em 2016. A justiça foi feita em 2017, mas parece que parte do hype já estava dissipado. Enquanto Max Verstappen encantava o mundo, ninguém lembrava direito daquele belga que precisou se refugiar na Super Formula. Agora pontuando com frequência, parece que o #2 fez a memória das pessoas voltar a funcionar.
Stoffel Vandoorne encantou na GP2, hoje F2 (Foto: GP2)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Mas é preciso dar um passo de cada vez. Vandoorne não está colocando Alonso no bolso, mesmo tendo mais pontos. O jovem piloto ainda precisa pode evoluir mais em classificações e, verdade seja dita, só tem mais pontos por causa do alto índice de abandonos de Fernando. Os GPs do Canadá e de Singapura são duas provas em que o espanhol pontuaria se fosse até o final – na corrida noturna, talvez até indo ao pódio. Podemos dizer que Stoffel é um piloto cada vez melhor, mas ainda longe de ser o rei da cocada preta.
 
Na temporada 2018, já plenamente adaptado e contando com a evolução do motor Renault, Vandoorne pode ser uma grata. Os aplausos que hoje damos para Esteban Ocon, que chama atenção por pontuar sempre, podem mudar de dono. Carlos Sainz Jr., Pierre Gasly, Charles Leclerc… Essa gente toda pode se ver em segundo plano. Quem sabe veremos o campeão incontestável da principal categoria de acesso à F1 mostrando a que veio.

GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades da F1 no Japão AO VIVO e em TEMPO REAL, com livetiming e gráfico interativo.
 

HÁ ESPERANÇA?

MESMO COM RESULTADO RUIM, VETTEL GANHA FORÇA NA MALÁSIA  

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube