Engenheiro-chefe da Sauber culpa motor Ferrari por desempenho na temporada 2014: “Estamos de mãos atadas”

Giampaolo Dall’Ara, engenheiro-chefe da Sauber, responsabilizou o motor Ferrari pelas dificuldades do time em 2014. Dall’Ara reconheceu que o carro não é dos melhores, mas colocou o propulsor de Maranello como ponto fraco do carro

A cobertura completa do GP da Bélgica no GRANDE PRÊMIO
icone_TV Automobilismo na TV: a programação do fim de semana

Giampaolo Dall’Ara, engenheiro-chefe da Sauber, responsabilizou o motor Ferrari pela crise vivida pela escuderia suíça na temporada 2014 da F1. Até agora, Esteban Gutiérrez e Adrian Sutil não conseguiram somar um único ponto.
 
Na contramão das declarações dadas por Monisha Kaltenborn, que evita apontar o dedo para Maranello, Dall’Ara reconheceu que o C33 “não é o melhor carro” já construído pela escuderia, mas colocou a falta de velocidade do propulsor é o ponto fraco do time.
Giampaolo Dall'Ara afirmou que motor Ferrari é o ponto fraco do C33 (Foto: Sauber)
“Nós recebemos nosso novo pacote de motor tarde. E toda a informação associada”, contou Dall’Ara à publicação germânica ‘Auto Motor und Sport’. “O plano para o primeiro teste era aprender e solucionar problemas de confiabilidade. Infelizmente, os tempos de volta foram desapontadores”, continuou.
 
“Os números mostram isso bem claramente. Nos falta velocidade final”, defendeu.
 
Dall’Ara fez uma comparação entre o desempenho de Sauber e Williams na Alemanha e afirmou que a Sauber está de mãos atadas.
 
“Em Hockenheim, nós notamos que não estávamos perdendo muito para eles nas curvas rápidas. O tempo que estamos perdendo é na reta e na freada”, explicou. “Esta claro que o nosso motor não está no nível do Mercedes. E apesar da nossa boa cooperação com a Ferrari, nossas mãos estão atadas. E as mãos da Ferrari também, por conta da homologação dos motores”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube