Enquanto aguarda venda para Renault, diretor da Lotus vê projeto de carro para 2016 “bem encaminhado”

Diante de toda a expectativa pela venda para a Renault, a Lotus praticamente abriu mão do desenvolvimento do E23, mas não cessou totalmente os trabalhos. Até por contar com profissionais da montadora francesa em Enstone, o time aurinegro está com o projeto para 2016 bastante adiantado, é o que garante Nick Chester

A temporada 2015 para a Lotus tem sido marcada pela grande instabilidade. Mesmo contando com o forte motor Mercedes, a equipe de Enstone penou durante boa parte do campeonato e, depois de brilharecos aqui e ali, só foi de fato bem-sucedida quando viu Romain Grosjean subir ao pódio do GP da Bélgica, onde terminou em terceiro. Os sucessivos problemas financeiros e a longa indefinição sobre a venda para a Renault fizeram com que o time praticamente paralisasse qualquer desenvolvimento do E23. Mas Nick Chester, diretor-técnico da Lotus, garante que o projeto do carro de 2016, que deve marcar o retorno da Renault como equipe à F1, está bem encaminhado.
 
Uma das razões para tal é que funcionários da Renault já estão trabalhando no novo modelo ao lado do corpo técnico da Lotus. Assim, é mais um indício de que as negociações estão próximas de serem concluídas, e isso deve ser anunciado em breve. Segundo a revista britânica ‘Autosport’, a oficialização da volta da Renault como equipe à F1 é esperada para o GP de Abu Dhabi, no fim do mês.
Novo projeto da Lotus, que deverá ser adquirida pela Renault, está em fase de desenvolvimento (Foto: Getty Images)
“Nós estamos bem encaminhados neste processo do projeto e a maioria do layout já foi concluída. Aprendemos muito ao longo das duas últimas temporadas, e todo este conhecimento está sendo posto em prática no carro do ano que vem”, garantiu o engenheiro britânico, que reconheceu que, em termos de desenvolvimento, o E23 ficou para trás.
 
“Não foi o maior desenvolvimento que nós colocamos em prática neste ano com o E23, então conseguimos dedicar um pouco de nossa mão-de-obra para nosso carro de 2016. A construção de algumas das peças já está em curso e atualmente nós estamos focando em muitos dos detalhes finais”, explicou.
 
Praticamente sem chances de buscar a Force India e ainda lutar pelo quinto lugar do Mundial de Construtores, a Lotus agora luta nas últimas etapas para conter o avanço da Toro Rosso, sétima lugar no campeonato, mas apenas seis pontos atrás do time de Enstone. A perda de uma posição no Mundial certamente acarretará um menor ganho da fatia das premiações por parte da Formula One Management.
 
Federico Gastaldi, chefe-adjunto da Lotus, reconhece que a missão é das mais difíceis, mas ainda acredita em ver seu time à frente dos taurinos ao fim da temporada. “Nós estamos colocando todos os esforços para terminar a temporada da melhor forma possível. Tem sido uma grande batalha para nós neste ano. De alguma forma, ainda mais difícil do que em 2014, mas nós seguimos trabalhando e buscando maximizar cada oportunidade que venha até nós”, finalizou o argentino.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube