13º, Alonso sai decepcionado de Mônaco e pede “regras especiais para corridas especiais”

Fernando Alonso teve outro resultado ruim na temporada. Depois de ter largado em 17º, o bicampeão do mundo terminou o GP de Mônaco do último domingo apenas em 13º, enquanto o companheiro de Alpine, Esteban Ocon, foi o nono

A má fase de Fernando Alonso na temporada que marca seu regresso à Fórmula 1 teve sequência neste fim de semana de GP de Mônaco. O bicampeão mundial, que já venceu duas vezes nas ruas do Principado, amargou a eliminação no Q1 na classificação, ocorrida no sábado, largou em 17º e cruzou a linha de chegada apenas em 13º. Na prática, no entanto, Fernando ganhou apenas duas posições na pista, já que o pole Charles Leclerc sequer largou, enquanto Valtteri Bottas abandonou após problemas no seu pit-stop. Em contrapartida, Esteban Ocon, seu companheiro de equipe na Alpine, terminou em nono e marcou mais dois pontos no Mundial.

Alonso venceu em Mônaco no auge da carreira e triunfou em 2006, no ano do seu bicampeonato, com a Renault, e na temporada seguinte, quando representava a McLaren e era companheiro de equipe de Lewis Hamilton. Agora, depois de uma má jornada em Monte Carlo, o espanhol de 39 anos pede mudanças para diminuir o protagonismo da classificação.

Em entrevista veiculada pelo site espanhol Soy Motor, Fernando não escondeu o amargor com uma jornada abaixo das expectativas. “Acho que a classificação foi o fim da nossa corrida. O fim de semana foi decepcionante no geral porque esperávamos mais de Mônaco”.

FERNANDO ALONSO; ALPINE; GP DE MÔNACO; FÓRMULA 1;
Fernando Alonso vive má fase na Fórmula 1 (Foto: Alpine F1 Team)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“Largar desde 17º não é o ideal. Foi uma corrida longa, mas não estou contente, de forma alguma. Largamos em 17º, terminamos em 13º. Acho que tínhamos um bom ritmo no fim, passamos dois carros, um na largada e outro na curva do Cassino”, salientou.

Alonso pediu que a Fórmula 1 faça algo que possa mudar a dinâmica das corridas em Mônaco.

“Os pneus são o fator principal neste tipo de fim de semana, sobretudo em circuitos urbanos. Você precisa colocar o pneu e posicioná-lo na janela de temperatura perfeita porque a classificação é crucial para o fim de semana”, lembrou.

“Talvez exista algo que o esporte tenha de estudar, talvez ter um pneu especial para Mônaco, algo que não seja usado em nenhum outro circuito. Também fazer com que todo mundo use o pneu macio e que não exista a possibilidade de colocar pneus duros, talvez poderia haver regras especiais para corridas especiais”, comentou o bicampeão.

No último domingo, a maior parte dos pilotos optou pela estratégia de apenas uma parada. Mick Schumacher, por exemplo, fez uma sequência de 37 voltas antes de colocar compostos duros e ir até o fim da prova. Com estratégia diferente, Kimi Räikkönen, da Alfa Romeo, fez 43 voltas com pneus médios antes de fazer o pit-stop e calçar pneus duros. Já Lance Stroll, da Aston Martin, deu o pulo do gato, largou com pneus duros, fez 58 voltas e as 20 seguintes com os macios. Mônaco é uma pista conhecida por impor o menor nível de desgaste de pneus da temporada.

Em termos de desempenho, Alonso reconheceu que a Alpine não teve o melhor desempenho, sobretudo pelas características peculiares de Mônaco, mas a esperança do espanhol é que a equipe de Enstone volte a se apresentar em viés de alta a partir de Baku, no primeiro fim de semana de junho.

“Não sei quantas ‘Mônacos’ vamos ter porque este é um circuito muito particular, e em Portugal e em Barcelona estivemos numa posição melhor. De modo que espero que possamos voltar a este tipo de performance na próxima corrida”, comentou.

“Acho que em duas das três corridas tivemos a melhor largada do grid. Acho que estamos no rumo certo neste sentido. Estamos colocando as coisas no seu lugar, uma de cada vez”, finalizou o bicampeão do mundo.

Verstappen assume liderança da F1 após vitória: assista aos melhores momentos do GP de Mônaco (GRANDE PRÊMIO com Reuters)

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar