Ferrari diz que “precisa fazer tudo perfeito” para conquistar vitória em Monza

Apesar de ser considerada como a favorita para o GP da Itália, a Ferrari só deve vencer se executar tudo de forma perfeita, segundo o chefe de equipe Mattia Binotto, que também revelou que a nova especificação do motor foi enviada para Maranello após a surpreendente falha de Antonio Giovinazzi na Bélgica

A Ferrari chega em Monza com a moral alta. O time quebrou o jejum de vitórias na temporada 2019 com o triunfo de Charles Leclerc no GP da Bélgica, em Spa-Francorchamps. Agora, a missão da escuderia é levar mais um troféu de primeiro lugar, agora correndo em casa, no GP da Itália.

 
Chefe de equipe, Mattia Binotto afirmou que vencer pela primeira vez em 2019 foi importante, mas ele sabe que será difícil um novo triunfo caso o time volte a cometer erros. Em Spa, Lewis Hamilton, da Mercedes, se aproximou muito de Leclerc nas voltas finais.
 
"Vencer em Spa foi importante para nossos fãs. Espero que muitos deles se juntem a nós em Monza para nos apoiar. Vimos que para vencer, precisamos fazer tudo perfeito, desde a classificação, largada, gerenciamento, os pilotos. Nada pode ficar para trás. Eu espero que seja bem difícil em Monza, então precisamos ser perfeitos lá, sabendo que a Mercedes vem bem competitiva", declarou Binotto.
Charles Leclerc (Foto: Beto Issa)
O GP da Itália também marca uma atualização no motor da Ferrari, mas com um pingo de preocupação. Após introduzir uma nova especificação na Alfa Romeo, equipe cliente, Antonio Giovinazzi teve uma falha em sua unidade de potência ainda no treino classificatório, o que motivou o time italiano a levar o novo de motor de volta para a fábrica.
 
"Vamos analisar o que aconteceu porque é uma quebra que aconteceu muito cedo, o que deveria ser errado, perceptível. Então, o motor vai voltar para Maranello, primeiro vamos desmontá-lo e tentar entender. Temos alguns dias para reagir, mas sim, é uma preocupação”, disse o chefe de equipe.
 
Apesar de ter um carro rápido, a Ferrari ainda sofre com a questão dos pneus. Na Bélgica, o ritmo de Charles Leclerc e Sebastian Vettel com os pneus médios não foi dos melhores, o que permitiu a aproximação das Mercedes. Vettel precisou de um novo pit-stop e ficou fora do pódio.
 
"Eu acho que nossos pneus macios funcionaram muito bem. Não era o caso dos médios. Por que não era o caso? É difícil de entender os pneus nesta temporada. E se você perguntar a mesma coisa para a Mercedes, eles provavelmente vão ter dificuldade de falar, porque não são tão fortes com macios, mas fortes com médios. Hamilton pareceu surpreso pelo ritmo que ele teve com médios. As dificuldades em entender os pneus são de longo prazo, estamos discutindo, e mostramos novamente como as coisas devem ser”
 
O GP da Itália acontece no fim de semana dos dias 6, 7 e 8 de setembro, no Autódromo Internacional de Monza, na Itália, com cobertura completa do GRANDE PRÊMIO.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube