Ferrari fala em “temporada longa”, mas parte para Bahrein com “correções para explorar todo potencial”

O desempenho na estreia no GP da Austrália desagradou a Ferrari. Apesar de saber que se trata de um campeonato bem longo, Mattia Binotto prometeu a equipe mudada e com correções feitas para o GP do Bahrein

A estreia complicada na Austrália já fez a Ferrari se mexer bem cedo em 2019. Para o GP do Bahrein, os italianos prometem correções no carro e buscam, finalmente, explorar todo potencial do carro, algo que deixam claro que não aconteceu na abertura da temporada em Melbourne.

 
Mattia Binotto, novo chefe da escuderia, reiterou que é uma temporada grande, mas que a Ferrari não tem mais tempo para repetir o que aconteceu na Austrália.
 
"O GP do Bahrein é a segunda corrida de uma temporada que vai ser longa e exigente. O circuito de Sakhir é muito diferente do australiano e tração e frenagem serão fatores cruciais. Como equipe, precisamos mostrar no Bahrein que acertamos algumas coisas em que éramos fracos na Austrália, o que impediu que a gente pudesse explorar todo o potencial do carro", disse o italiano. 
Mattia Binotto prometeu correções no Bahrein (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)

Binotto explicou também que os ajustes necessários para o Bahrein já foram feitos e, mesmo com a evolução das rivais diretas, a Ferrari vem para briga.

 
"Esperamos ver o efeito das correções que fizemos no carro já no Bahrein, ainda que a gente saiba que todos os nossos adversários estarão fortes mais uma vez. Tendo isso em mente, estamos confiantes em voltar para a pista e encará-los", completou.
 
Tida como principal favorita ao título após uma grande pré-temporada, a Ferrari decepcionou em Melbourne e nem pódio fez, com Sebastian Vettel em quarto e Charles Leclerc em quinto.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar