FIA diz que punições em corridas de classificação serão “aplicadas normalmente”

Michael Masi, diretor de provas da F1, confirmou que punirá pilotos infratores nas corridas de classificação da mesma forma como acontece nas corridas tradicionais

Austin Hill escapou da confusão e venceu em Knoxville na quarta prorrogação (Vídeo: Nascar)

Com estreia marcada para o próximo sábado (17), no GP da Inglaterra, as corridas de classificação seguem agitando o paddock da Fórmula 1. Desta vez, Michael Masi, diretor de provas da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) para a F1, avisou que as punições, como acréscimo no tempo ou de perda de posições no grid, serão aplicadas normalmente, assim como acontece em uma corrida normal.

Em entrevista veiculada pela revista britânica Autosport, Masi confirmou que o regulamento padrão da Fórmula 1 será seguido na corrida de classificação, que além de premiar os três primeiros com 3-2-1 pontos, respectivamente, definirá as posições de grid para o GP da Inglaterra propriamente dito, que acontecerá com casa cheia em Silverstone neste domingo.

“Se encontrarmos algum acidente que envolva dois pilotos durante a corrida, iremos aplicar uma punição no grid para a próxima corrida. Então, punições de tempo e de posições no grid, por infringir regras e tudo o mais, serão aplicadas normalmente”, explicou Masi.

“O restante das regras que dizem respeito a unidades de potência e tudo o mais serão objeto de aprovação da comissão da F1 e do Conselho Mundial de Automobilismo da FIA ainda esta semana, mas eles serão aplicadas de forma diferente, com foco na corrida. Mas coisas que afetem a posição de largada serão, da perspectiva de algum piloto cometer infração, aplicadas em tempo ou posições no grid naquele momento”, detalhou o australiano.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Silverstone vai receber a nova corrida de classificação em 2021 (Foto: AFP)

Além de analisar o regulamento e os procedimentos que serão adotados, Masi abordou a duração da prova, prevista para ter 30 minutos, num total de 17 voltas, e reiterou que todos os envolvidos entendem que é apenas o começo das corridas de classificação e que todos trabalharão para melhorá-la após o primeiro teste.

“A única coisa que realmente muda é a capacidade de duração. Obviamente, a corrida de classificação é planejada para durar 30 minutos, chegando ao máximo na casa dos 60 ou 90 minutos — não consigo lembrar de cabeça. Mas, efetivamente, foram adicionadas cláusulas a isso caso tenhamos uma suspensão necessária”, afirmou Masi ao mencionar a possibilidade de uma bandeira vermelha interromper a prova e o tempo-limite do evento.

“Após esse primeiro evento, com muito prazer, vamos rever o que deu certo e o que precisa ser ajustado. Isso é algo novo para nós, particularmente se falando de Fórmula 1. Todos estão muito abertos, e já foi dito que precisamos trabalhar juntos para ver o que acontecerá caso surgirem coisas que não consideramos”, concluiu o diretor de provas da F1.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar