FIA considera intervir após impasse sobre legalidade de novos sistemas de suspensão da F1, diz site

A Ferrari segue acreditando que o novo sistema de suspensão desenvolvido pela Mercedes, semelhante ao já banido FRIC, é ilegal. Caso o entrave não se resolva, a FIA deve intervir para dar seu veredito. A informação é do site ‘Motorsport.com’

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Foi no início de janeiro que a Ferrari decidiu conversar com a FIA sobre a possível ilegalidade de um novo sistema de suspensão desenvolvido pela Mercedes. A proposta não chegou a ser proibida, mas estava claro que a federação poderia bani-la. Um mês e meio depois, a situação não parece estar avançando: o site ‘Motorsport.com’ informa que ainda existe discordância entre as escuderias, o que pode levar a uma intervenção direta da entidade que rege o automobilismo.
 
A Ferrari acredita que a inovação da Mercedes é uma forma de replicar o efeito do FRIC, banido em 2014. Era um sistema que conectava as suspensões dianteiras e traseiras, mas que agora seria aplicado sem uma ligação direta. Outras equipes – entre elas a própria escuderia de Maranello – decidiram acompanhar as Flechas de Prata e desenvolver o mesmo conceito em seus bólidos, mesmo sem saber se vão de fato receber aval para utilizá-lo.
 
Caso a FIA resolva intervir, um decreto será enviado às equipes antes do início dos testes de pré-temporada, em 27 de fevereiro.
Ninguém sabe ao certo se a nova suspensão da Mercedes é legal ou não (Foto: Mercedes)
Para a Ferrari, a maior esperança é torcer para que a FIA note ilegalidade no sistema. Isso porque a única outra forma possível de vetar a suspensão – através de votação com representantes das equipes – não tomou um rumo muito favorável. De acordo com a revista alemã ‘Auto Motor und Sport’, apenas três das dez equipes votaram pela ilegalidade do conceito. Isso deixa os italianos com pouca força para uma queda de braço.
 
A última alternativa para a Ferrari, caso o sistema seja considerado legal, é um protesto formal à FIA na semana do GP da Austrália. Mesmo assim, é difícil acreditar que a ação traga resultados se seguir com pouco apoio por parte das equipes.

 

PADDOCK GP #64 RECEBE FELIPE GIAFFONE E DEBATE CRISE NA F-TRUCK

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube