F1

Gaiato, Glock relembra GP do Brasil de 2008 e se vê “o azarado que acabou no meio da briga pelo título”

Em entrevista ao GRANDE PRÊMIO, Timo Glock recordou o GP do Brasil de 2008 e relatou que foi só depois de parabenizar Lewis Hamilton que ficou sabendo de sua participação na disputa pelo título com Felipe Massa. O alemão avaliou que teve azar por acabar naquela situação
Warm Up, de São Paulo / JULIANA TESSER, de Interlagos / PEDRO HENRIQUE MARUM, de Interlagos / NATHALIA DE VIVO, de Interlagos / FELIPE NORONHA, de Interlagos
 O GP do Brasil de 2008 (Foto: Reprodução)
Dez anos depois, o GP do Brasil de 2008 segue vivo na memória das pessoas. Protagonista involuntário daquele 2 de novembro, Timo Glock lembra claramente de seu envolvimento na disputa entre Lewis Hamilton e Felipe Massa pelo campeonato. Mas nem sempre foi assim.
 
No fim daquela última etapa de temporada, a Toyota de Glock e Jarno Trulli foi na contramão dos demais rivais, mesmo com a virada do tempo. A equipe japonesa seguiu na pista com pneus slicks, avançando no pelotão. Timo, que estava 20s atrás de Hamilton no instante em que a chuva começou em Interlagos, ganhou a posição do britânico e, aproveitando a parada ruim do então piloto da McLaren, ganhou mais de 20s de frente.
 
Quando a chuva se tornou mais pesada, Glock passou a sofrer para se manter na pista e foi rodando cada vez mais lento. Nos últimos dois giros, o alemão perdeu entre 18s em relação aos demais.
Timo Glock relembrou o polêmico GP do Brasil de 2008 (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
Precisando do quinto lugar para ganhar o título em cima de Massa, Hamilton vinha lutando com Sebastian Vettel naquela parte final de prova, e havia acabado de perder posição. Os dois, então, chegaram em Glock, que não conseguiu resistir aos ataques. Lewis ultrapassou o piloto da Toyota na Junção, em uma das mais emblemáticas manobras dessa corrida. 
 
Assim, Massa, que tinha cruzado a linha de chegada de Interlagos como campeão, viu o sonho ruir e fechou o ano apenas com o vice-campeonato, apenas um ponto atrás de Hamilton.
 
De volta a Interlagos na função de comentarista da TV alemã, Glock conversou com exclusividade com o GRANDE PRÊMIO e deu seu relato daquele GP do Brasil. “Muitas [memórias]. Ser envolvido no meio da briga pelo campeonato, algo que eu realmente não sabia naquele momento, porque nós tentamos fazer o melhor para o nosso time”, disse Glock.

“Nós fomos os únicos que ficamos com pneus slicks, Jarno Trulli, que na época era meu companheiro de equipe, e eu. No fim, nós avançamos de sétimo ou oitavo para a quarta posição, e aí nós apostamos”, continuou. 
 
“Nas últimas três voltas, eu percebi que choveria mais e mais, vi uma nuvem vindo daquela direção [da represa] e eu vi que a chuva estava vindo. Eu disse ao meu engenheiro: ‘Olha, eu acho que preciso entrar e trocar os pneus’. E ele disse: ‘Não, não, não. Nós vamos ficar, pois temos diferença o bastante para os outros’. Aí na penúltima volta, eu cheguei na última curva e estava chovendo e eu disse: ‘Caras, eu preciso entrar. Não vou sobreviver até a última volta. É impossível. Está chovendo muito forte’. Mas eles disseram que eu não podia mais entrar, porque estavam colocando a cerca no pit-lane para a cerimônia do pódio, então tinham pessoas andando por lá. Eles disseram: ‘Você não pode entrar. Você precisa ficar aí’. E eu tive de ficar lá com aqueles pneus e percebi logo que entrei na curva um que estava chovendo e eu não tinha aderência nenhuma”, contou. “Eu estava apenas tentando sobreviver. Eu não tinha chance nenhuma de guiar mais rápido, eu tinha de manter o carro na pista de algum jeito. No fim, eu fui o azarado que acabou no meio da briga pelo título”, resumiu.
 
Questionado pelo GP sobre o momento em que se deu conta de que tinha ficado no meio da briga entre Hamilton e Massa, Glock respondeu: “Quando todos os jornalistas vieram para cima de mim depois da corrida. O meu time não me disse que eu era o cara que estava no meio daquilo”. 
 
“Quando eu voltei para os pits, eu parei atrás de Lewis e eles me disseram: ‘Lewis é campeão’. Então eu fui até ele e o parabenizei sem saber. Aí todos os jornalistas estavam correndo na nossa direção e eu estava indo para o lado, pensando: ‘Ok, eles estão indo até o Lewis’. E aí todos eles vieram até mim e me fizeram essas perguntas: ‘Por que eu deixei Lewis passar? E tal’. ‘O que aconteceu? Eu não sei do que você está falando! Como assim eu deixei o Lewis passar?’. ‘Você decidiu o campeonato!’”, relatou. “Aí uns caras da Toyota vieram, me afastaram imediatamente e me contaram o que aconteceu. Eu fiquei numa situação estranha. Infelizmente, ainda depois de dez anos, as pessoas lembram disso”, concluiu.
 
Acompanhe todo o conteúdo em vídeo do GP do Brasil no nosso canal no YouTube Resultado de imagem para logo png youtube
 
GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ o GP do Brasil de F1 com os repórteres Evelyn Guimarães, Felipe Noronha, Fernando Silva, Gabriel Curty, Juliana Tesser, Nathalia De Vivo e Pedro Henrique Marum, e o fotógrafo Rodrigo Berton. Acompanhe tudo aqui.