Gasly diz que alcançou apenas “80% do potencial” na Red Bull

Após o sensacional segundo lugar no GP do Brasil, Pierre Gasly admitiu que sempre quer estar no carro mais rápido possível, porém, só teve 80% do seu potencial correspondido na Red Bull, time em que atuou nas primeiras 12 corridas do ano

 
O piloto se aproveitou de diversos acidentes no caminho e segurou o hexacampeão Lewis Hamilton para garantir os 18 pontos na temporada, batendo o quarto lugar na Inglaterra, que tinha sido o seu melhor resultado no ano. O francês reiterou que nunca “desaprendeu” a pilotar.
 
"Como um piloto, você nunca desaprende a pilotar com algumas semanas ou alguns meses. Entre Budapeste e Spa, acho que foram quatro semanas. Você não aprende a pilotar de novo em quatro semanas. Eu ganhei Fórmula Renault 2.0, fui vice na 3.5, ganhei a GP2, fiquei em segundo na Super Fórmula, fui forte na Toro Rosso no ano passado. Na minha carreira, tive apenas seis meses em que não fui competitivo", disse Gasly em entrevista ao RaceFans.
Pierre Gasly na Red Bull (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
O francês já está confirmado na AlphaTauri (novo nome da Toro Rosso) em 2020, enquanto Alexander Albon segue na Red Bull. Gasly admitiu que sempre quer ter o carro mais rápido, mas que só tinha 80% do seu potencial enquanto correu pelo time austríaco.
 
"Você sempre quer estar no carro mais rápido possível e batalhar na posição mais alta do grid, mas na Red Bull, eu sentia que tínhamos 80% do nosso potencial na maioria das corridas e por razões diferentes. Desde que entrei para a Toro Rosso, isso mudou um pouco e toda corrida eu sinto que posso ter performances fortes. É mais legal, mas como um piloto, você sempre quer estar no carro mais rápido", completou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube