Gasly “não esperava” 6º no grid: “Talvez por isso seja tão bom”

Pierre Gasly teve uma grande surpresa quando ouviu que tinha o sétimo melhor tempo do dia em Interlagos, o que representa largar em sexto no GP do Brasil. O francês destaca como a briga foi apertada no curto traçado de Interlagos

Pierre Gasly começou o sábado (16) pensando em quem saber participar do Q3, mas definitivamente sem se imaginar na pole-position do pelotão intermediário. O francês conseguiu o sétimo melhor tempo em Interlagos, que representa o sexto posto no grid após troca de motor para Charles Leclerc. Trata-se de um resultado tão surpreendente quanto empolgante. 
 
“Fico superfeliz”, definiu Gasly, falando em entrevista acompanhada pelo GRANDE PRÊMIO. “É a pole-position do pelotão intermediário, foi minha melhor classificação pela Toro Rosso, e logo em uma pista em que a gente sabia que as margens seriam muito pequenas”, destacou.
 
“Nós sabíamos que éramos competitivos. Não esperávamos em momento algum cair no Q1, como aconteceu com o Daniil [Kvyat]. Nós podíamos ir ao Q3, só que ontem entre o sétimo e o 15º eram só 0s3. E ainda aos sábados eles costumam usar mais o motor e ter mais potência. Não esperávamos, então talvez seja por isso que a sensação é tão boa. Vamos largar em sexto e isso é muito bom”, comentou.
Pierre Gasly é sexto no grid em Interlagos (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

O otimismo de Gasly, entretanto, esbarra na dificuldade da Toro Rosso com ritmo de corrida. A sexta-feira da equipe foi turbulenta, com falhas mecânicas dificultando a coleta de dados com tanque de combustível cheio.

 
“A gente não tem dados sobre a simulação de corridas porque eu só dei quatro voltas ontem, Daniil também teve problemas, então a gente ficou meio cego. É difícil saber o que vai acontecer, mas ao menos estamos na melhor posição possível. É ótimo estar em sexto, mas os pontos são entregues amanhã. Estamos numa boa posição, mas temos que terminar o trabalho” , comentou.
 
A grande classificação de Gasly contrastou com um dia decepcionante para Daniil Kvyat. O russo caiu ainda no Q1, o que significa largar em 16º.
 
"Acho que algo está sendo feito na direção errada em classificações”, avaliou Kvyat. “Cometi alguns erros, não estava feliz com o equilíbrio, mudaram alguma coisa. Não sei realmente o que aconteceu. Tive perda de aderência na classificação. Acontece, mas eu não sei exatamente de onde veio", destacou.
Daniil Kvyat caiu ainda no Q1 (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

"É claro que não estou feliz, mas sei que vou bem quando tenho o equilíbrio que quero do carro. Precisamos recuperar esse equilíbrio. Estamos saindo da briga sempre que vamos para a classificação, então precisamos trabalhar duro para saber o que acontece", seguiu.

 
"Eu acho que tudo pode acontecer, é claro que gostaria de largar na frente, mas tenho que me recuperar, e é isso que vou tentar", encerrou.

O GRANDE PRÊMIO cobre in loco o GP do Brasil com os jornalistas Evelyn Guimarães, Felipe Noronha, Fernando Silva, Flavio Gomes, Gabriel Carvalho, Gabriel Curty e Pedro Henrique Marum, e o fotógrafo Rodrigo Berton. Acompanhe todo o noticiário aqui e tudo dos bastidores e das atividades em pista AO VIVO e em TEMPO REAL

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube