GP às 10: Despedida de Vettel da Ferrari emociona por ternura, carinho e respeito

Em um fim de semana marcado por tantas despedidas, de equipes e da própria Fórmula 1 em si, Sebastian Vettel foi quem mais chamou a atenção no seu adeus à Ferrari no último domingo em Yas Marina. Flavio Gomes destacou a atitude do tetracampeão do mundo no GP às 10 desta terça-feira (15)

O GP de Abu Dhabi do último domingo foi muito longe de ser uma corrida marcante e emocionante. Mas, no aspecto histórico da coisa, a prova em Yas Marina representou o ponto final e o encerramento de ciclos para muitos pilotos do grid da Fórmula 1. E dentre tantas despedidas, a que mais chamou a atenção foi o adeus de Sebastian Vettel à Ferrari. Este é o assunto abordado por Flavio Gomes no GP às 10 desta terça-feira (15).

Foram muitas as despedidas em Abu Dhabi: se despediram da Fórmula 1 três pilotos: Romain Grosjean, Kevin Magnussen e Daniil Kvyat. Sobre Pietro Fittipaldi, ninguém deve construir nenhuma ilusão sobre Fittipaldi voltar à Fórmula 1. Fez as suas corridas com dignidade, mas não vai voltar no ano que vem, analisa o jornalista.

Daniel Ricciardo fez sua última corrida pela Renault e, na última volta correndo pela equipe de Enstone, fez a melhor volta da prova, assegurando o ponto extra na despedida. Era um piloto que estava comprometido desde sempre e até o fim com o trabalho pela equipe.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Outro que se despediu foi Carlos Sainz, que saiu da McLaren para correr pela Ferrari. E a McLaren, graças aos resultados de Sainz e de Lando Norris, conseguiu terminar o Mundial de Construtores em terceiro. Ótimo ano para a McLaren.

A despedida de Sergio Pérez da Racing Point foi emocionante, em meio às lágrimas por conta da quebra de motor. Mas foi um super campeonato do mexicano, que venceu o GP de Sakhir.

Mas a despedida mais marcante foi a de Sebastian Vettel da Ferrari. Foram 119 GPs, 14 vitórias e 12 poles. Conseguiu dois vice-campeonatos, mas não conseguiu o que todo mundo achava que ele poderia conseguir quando se juntou à Ferrari em 2015. Em 2020, a Ferrari fez seu pior campeonato desde 1980, 40 anos atrás. Nos 39 campeonatos seguintes, a equipe nunca ficou abaixo do quinto lugar. Neste ano, ficou em sexto.

Mesmo num ano tão ruim, com um motor fraco, reflexo do que aconteceu no ano passado, Vettel foi com dignidade até o fim, sem arrumar encrenca com ninguém. A despedida via rádio foi muito emocionante, com Seb cantando uma música, em italiano, em despedida aos colegas da Ferrari. Foi um momento de tamanha ternura, carinho, de um piloto pela história de uma equipe, que a gente não deve deixar passar. Não devemos banalizar o que o Vettel fez, opina Gomes.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube