GP às 10: Visual de Vettel na Aston Martin impressiona e reflete desgaste na Ferrari

Genética e desgaste mental em razão dos últimos anos na Ferrari: por que Sebastian Vettel chegou careca à Aston Martin? Fernando Silva comenta no GP às 10 desta sexta-feira

A primeira aparição pública de Sebastian Vettel como piloto da Aston Martin deu o que falar. O tetracampeão mundial, aos 33 anos, se mostrou bastante calvo, o que levou a vários comentários nas redes sociais. Muitos deles ligaram a perda de cabelo ao período em que o alemão correu pela Ferrari.

Vettel, principalmente nos dois últimos anos, sofreu muito com a falta de bons resultados, no período que coincidiu com a chegada de Charles Leclerc a Maranello, a partir de 2018. De primeiro piloto nos tempos em que tinha como companheiro de equipe Kimi Räikkönen, Seb perdeu espaço de forma gradativa até ouvir de Mattia Binotto, por telefone, que não teria seu contrato renovado para 2021.

Há o fator genético, já que Norbert Vettel, pai do piloto, também é bastante calvo. Mas é impossível associar o aspecto atual do tetracampeão somente à hereditariedade, já que é natural alguém se cobrar tanto por um objetivo, sobretudo quando este não é atingido.

No GP às 10, Fernando Silva ressalta: Vettel tem uma boa parte no seu fracasso como piloto da Ferrari, mas a equipe é muito mais culpada por não conseguir lhe dar um carro minimamente competitivo neste período e por ser muito instável nos bastidores, o que impõe uma pressão muito maior a um piloto do que qualquer outra equipe do grid.

Na Aston Martin, seja lá quais forem seus resultados, Vettel tem uma certeza: vai correr com pressão muito menor do que nos tempos em que defendeu a equipe italiana.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube