GP do Azerbaijão festeja fim de conflito de datas com Le Mans e revela: procura por ingressos é cinco vezes maior que em 2016

Arif Rahimov, promotor do GP do Azerbaijão, afirmou que os esforços da organização da prova para não mais colidir com as 24 Horas de Le Mans foram frutíferas. Procura de público está cinco vezes maior que um ano atrás, e ele também espera muito mais imprensa e uma corrida mais movimentada

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

O esforço para evitar o confronto direto com as 24 Horas de Le Mans em 2017 está dando certo. É essa afirmação feita pelos organizadores do GP do Azerbaijão da F1. A primeira edição da prova, em 2016, enfrentou a competição da mais tradicional corrida de longa duração do mundo e aconteceu apenas uma semana depois do GP do Canadá. Agora, porém, a procura por ingressos está cinco vezes maior. 

 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
As afirmações foram feitas pelo promotor da corrida, Arif Rahimov, que foi só elogios às conquistas do Azerbaijão. Falou desde o ponto de vista da imprensa até do público internacional e logística, tudo melhorando com o novo espaço da corrida.

 
"Obviamente é bom ter mais imprensa e espectadores no Azerbaijão para a corrida. Ano passado, muita gente teve a chance de ver como funciona a corrida e atraiu muito espectador internacional. Estamos felizes que esses espectadores não precisarão escolher entre as duas corridas. Do lado da imprensa, Le Mans é um grande evento, e muita imprensa teve de escolher entre as corridas. Esse ano, não precisam", disse.
 
"Outra coisa positiva é que nossa corrida não é em semana seguida com nenhuma outra, então temos mais tempo para nos preparar juntos com a organização da F1 e sua equipe técnica para ter certeza que a pista está correta. Ano passado foi meio que um pesadelo logístico para organizar tudo num período de tempo tão curto", seguiu.
O circuito de Baku (Foto: Force India)
Depois, tratando da venda de ingressos, falou que a procura está cinco vezes maior que neste mesmo momento do ano passado.
 
"Estão definitivamente altos – da tendência que vemos agora, em comparação ao mesmo período de tempo do ano passado, vendemos cinco vezes mais entradas", contou. "Então vemos uma grande mudança – o que provavelmente foi influenciado pelo fato de termos tido telespectadores ano passado, o que persuadiu pessoas a comprar entradas. Muita gente daqui aprendeu o que é a corrida, então eles sabem o que estão comprando agora, mas querem estar lá. Querem ver a corrida e fazer parte de tudo", encerrou.
 
Rahimov ainda respondeu a questão sobre a pista não ser boa o bastante para corridas divertidas usando o circuito de Sóchi como exemplo. Segundo Rahimov, a pista russa também teve uma estreia ruim e melhorou muito no segundo ano.
 
"O primeiro ano em Sóchi foi chato. Não houve acidente, nada. Não estou dizendo que a pista é ruim, é ótima, mas a primeira corrida foi parada. O mesmo que aqui. O ano seguinte, porém, foi um grande show. Acho que tem mais a ver com a confiança dos pilotos com os motores e chassis. Uma vez que houver confiança, será interessante. Dá para isso na diferença entre treinos livres e classificações na F1", avaliou.
 
"A pista não perdoa. Não dá para cometer erros na pista. É estreita e imperdoável. Não são apenas carros maiores, mas as áreas de escape e as curvas que você tem de acertar. Você precisa tocar a zebra no ponto correto para não acertar o muro, assim como Hamilton fez no ano passado. Há grande potencial para um grande show", encerrou.
 
O GP do Azerbaijão está marcado para o dia 25 de junho.
fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube