Hamilton mantém domínio na Hungria até chegada da chuva. Senna fica em 3º e Massa, 4º

Na segunda sessão de treinos livres do GP da Hungria de F1, nesta sexta-feira (27), Lewis Hamilton repetiu o bom desempenho do treino pela manhã e cravou a melhor marca do dia. Os brasileiros foram muito bem, com Bruno Senna em terceiro, seguido por Felipe Massa

Os primeiros 45 minutos do segundo treino livre do GP da Hungria, nesta sexta-feira (27), foram bastante empolgantes, com muitos pilotos se revezando na liderança. Nesta fase, Lewis Hamilton foi o grande destaque ao colocar novamente a McLaren na ponta em Hungaroring. O britânico foi o único piloto do dia a andar abaixo de 1min22s ao anotar 1min21s995, superando em 0s185 o tempo de Kimi Räikkönen, que alcançou boa performance em Budapeste.

Os brasileiros tiveram um bom rendimento em Hungaroring. Naquele que foi o seu melhor desempenho na temporada, Bruno Senna, que foi o piloto que mais andou no segundo treino — com 35 voltas — conseguiu marcar o terceiro melhor tempo do dia, seguido por Felipe Massa. Até que a chuva chegou com força e mudou tudo.

O temporal foi breve, mas suficiente para encharcar boa parte do circuito magiar. O volume de água foi tão grande que deixou várias poças de água em alguns setores da pista, encerrando qualquer possibilidade de melhora dos tempos. Assim, a sessão que se desenrolava de maneira empolgante, mudou completamente, com os pilotos deixando os boxes com pneus de chuva extrema, e depois, com os intermediários.

Lewis Hamilton dominou o primeiro dia de treinos em Hungaroring (Foto: McLaren)

No fim das contas, melhor mesmo para a McLaren, que inicia o fim de semana do GP da Hungria na condição de favorita. Vale lembrar que, nas últimas cinco corridas disputadas em Hungaroring, a equipe de Woking venceu quatro vezes, duas delas com Hamilton — em 2007 e 2009.

Fernando Alonso foi o quinto colocado, seguido por Jenson Button. Paul di Resta conseguiu uma boa sétima colocação, terminando à frente de um discreto Sebastian Vettel. Romain Grosjean se recuperou de uma batida logo no início da sessão para garantir o nono tempo, enquanto Michael Schumacher, que bateu seu Mercedes na barreira de pneus da curva 12, que estava bastante encharcada, fechou o rol dos dez primeiros.

Saiba como foi o segundo treino livre do GP da Hungria de F1

Bem diferente do primeiro treino livre do dia, a sessão iniciada na tarde desta sexta-feira foi bastante agitada. Logo no começo, ninguém quis perder tempo e praticamente todos os pilotos foram à pista, com exceção de Vettel, Alonso e De la Rosa. E Senna, que não treinou pela manhã, buscou aproveitar bem sua uma hora e meia na pista e foi o primeiro a estabelecer volta rápida. O brasileiro da Williams anotou 1min27s605, tempo bastante alto em comparação à manhã, mas tudo ainda estava muito no início.

Com mais aderência, a pista naturalmente ficou bem mais rápida. E Räikkönen logo se mostrou bem mais rápido ao registrar 1min22s950, sendo, àquela altura, o terceiro piloto do dia a andar abaixo de 1min23s, assumindo a liderança do treino da tarde. Seu companheiro de Lotus, Grosjean, também quis andar rápido, mas cometeu um erro na saída da curva 7 e bateu de frente com a barreira de pneus, destruindo a asa dianteira.

Assim como no primeiro treino, as McLaren apareceram bem, com Hamilton e Button andando abaixo de 1min23s. Entretanto, foi a Ferrari que deu as cartas na primeira meia hora de sessão. Alonso anotou 1min22s899 e assumiu a ponta, superando a marca de Kimi em 0s051. Mas logo em seguida, foi a vez de Massa superar o companheiro de equipe na Ferrari e liderar o treino.

Os brasileiros estavam mesmo bem. Além de Massa, em primeiro, Senna conseguiu fazer bela volta e subiu para sexto, com 1min23s219. O piloto da Williams era aquele que, depois da primeira hora de treino, quem mais completou voltas em Hungaroring: 13.

Com a melhora significativa da pista, muitos pilotos começaram a usar os pneus macios pela primeira vez no fim de semana, entre eles Grosjean, que voltou à pista depois da batida logo no início da sessão. E aí o treino ganhou dinâmica bastante distinta, já que as marcas caíram ainda mais.

Depois de uma boa sequência de voltas — embora com tempos bem mais altos que o normal —, Button, com pneus macios, ultrapassou Massa e subiu para a liderança ao marcar 1min22s747, sendo o piloto mais rápido do dia até o momento, quando faltavam 55 minutos para o fim da sessão. Não demorou para que os carros da Williams, Ferrari e também Räikkönen voltassem à pista com os compostos ‘amarelos’.

E em sua primeira volta com os pneus macios, Alonso superou até com certa folga o tempo de Button. Com 1min22s582, o líder da temporada foi 0s165 mais rápido que o britânico e reassumiu a ponta da sessão em Hungaroring. Hamilton também vinha em boa volta, mas foi atrapalhado pela Marussia de Pic. Mas quem destruiu o tempo de todo mundo foi Räikkönen. O finlandês marcou um tempo excepcional — 1min22s180 — e foi simplesmente 0s402 mais rápido que Alonso.

Outro que fez bela volta foi Senna, que passou fácil pela barreira dos 1min23s e marcou 1min22s659, se colocando entre os cinco primeiros, assim como Hamilton, que marcou tempo suficiente para subir para segundo. Até que, voltas mais tarde, Lewis cravou uma marca excepcional e foi o primeiro piloto a andar abaixo de 1min22s: 1min21s995. Liderança da sessão para o britânico, com Räikkönen em segundo e um surpreendente Senna em terceiro, 0s258 atrás de Hamilton.

Muitos pilotos vinham em ritmo rápido e poderiam se aproximar, ou até mesmo superar o tempo de Lewis. Até que a chuva prevista pela meteorologia finalmente veio, e com força, para Budapeste, interrompendo o cronograma de testes dos pilotos em Hungaroring no início da segunda metade do treino, encharcando a pista.

Pouco mais de dez minutos depois de a chuva desabar no circuito magiar, Jean-Éric Vergne foi à pista usando pneus de chuva extrema. Nico Rosber e Senna optaram pelos intermediários, assim como Schumacher, que levou a pior. Na entrada da curva 12, o Mercedes W03 do heptacampeão do mundo aquaplanou, e o veterano perdeu o controle do carro, batendo de leve na barreira de pneus, encerrando ali a sua participação nesta sexta-feira em Budapeste.

No fim do treino, muitos pilotos fizeram uso dos pneus intermediários para avaliar as condições da pista, que secaram bastante ao longo do fim do treino. Mas não havia a menor chance de melhora em Budapeste, que teve Hamilton como grande nome do primeiro dia de treinos.

F1, GP da Hungria, Hungaroring, treino livre 2:

 

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube