Hamilton ressalta força da Ferrari no México: “A diferença entre nós e eles é enorme”

Lewis Hamilton constatou o óbvio depois de fechar a sexta-feira (25) de treinos livres no México quase 1s atrás da Ferrari de Sebastian Vettel, o mais rápido do dia. Embora entenda que há mais por vir em termos de tempo, o pentacampeão não se mostrou muito animado e ainda falou sobre as dificuldades para encontrar a melhor janela de funcionamento dos pneus

Não foi uma sexta-feira (25) fácil para a Mercedes no Autódromo Hermanos Rodríguez. Em que pese o fato de ter liderado o primeiro treino livre, Lewis Hamilton fez sua melhor marca com pneus macios, contra os compostos médios que calçaram a Ferrari de Charles Leclerc, segundo colocado com apenas 0s119 de diferença. O período da tarde escancarou a vantagem da escuderia de Maranello para a Mercedes no México. Enquanto Sebastian Vettel marcou o melhor tempo do dia, 1min16s607, Hamilton não passou da quinta posição e ficou 0s963 atrás.
 
Ao fim dos trabalhos de pista, Hamilton fez um balanço pouco otimista da sexta-feira, ainda que tivesse apresentado uma boa performance nas simulações de corrida.
 
“Não foi um ótimo dia, mas é a forma que costuma ser aqui”, explicou o pentacampeão, que tem suas chances de confirmar o hexacampeonato neste domingo — desde que some 14 pontos a mais que seu companheiro de equipe, Valtteri Bottas, que foi o quarto mais rápido desta sexta-feira.
Lewis Hamilton terminou a sexta-feira quase 1s atrás da Ferrari de Sebastian Vettel no México (Foto: Beto Issa)
Um dos principais pontos abordados por Hamilton foi sobre a dificuldade de encontrar a melhor janela para fazer os pneus funcionarem da forma adequada.
 
“Definitivamente, aprendemos muito e não tive grandes dramas, simplesmente foi sobre tentar entender esses pneus. Estava mais frio nesta manhã e, então, um pouco mais quente no segundo treino, e partindo das simulações de classificação para os long-runs, é simplesmente difícil identificar exatamente como fazer esses pneus funcionarem. Mas esse é o nome do jogo”, disse.
 
“Acho que não estamos tão longe das Red Bull, mas a Ferrari continua muito forte com o motor nas retas, de modo que a diferença entre nós e eles é enorme”, pontuou Hamilton.
 
Ainda que entenda que o déficit de performance para a Ferrari seja grande, Lewis disse que seu melhor tempo nesta sexta-feira não reflete a realidade. “Nesta tarde eu sofri um pouco mais com os pneus e a volta não foi um espetáculo, então há mais por vir, com certeza. Valtteri foi 0s3 mais rápido na pista, mas vou tentar buscar isso para amanhã”.
 
Já o chefe da Mercedes, Toto Wolff, admitiu que a Mercedes não tem ritmo para lutar na frente neste fim de semana no México.
 
“Não foi bom o bastante. Sabemos que essa é uma pista difícil para nós. Simplesmente estamos com falta de performance. Acho que essa é uma das pistas mais difíceis. Tivemos granulação [dos pneus] no ano passado e nós estamos com uma perda real de potência neste ano na comparação com os outros”, disse o dirigente em entrevista à emissora britânica Sky Sports.
 
“Acho que é sobre sobreviver com esses pneus e fazê-los chegar ao fim”, explicou o austríaco.
 
“Acho que nós precisamos dar um carro que seja confiável, que é o mais importante, e então lutar na pista. Não acho que temos um pacote bom o bastante neste fim de semana para estar mais à frente do ponto de vista do ritmo puro. Mas vamos ver. Se conseguirmos em Austin, vamos fazer isso em Austin”, complementou Wolff, fazendo menção à próxima etapa do campeonato, o GP dos Estados Unidos, que acontece na semana que vem.
 
As atividades de pista do GP do México vão ser retomadas neste sábado com a disputa do terceiro treino livre a partir de 12h (horário de Brasília). Já a definição do grid de largada está marcada para 15h. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL.

Paddockast #39
O MELHOR SEM TÍTULO DA F1

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube