Hamilton se emociona ao falar do pai e revela morte do avô dias antes do penta: “Ficou orgulhoso de nós”

Lewis Hamilton sofreu uma grande perda dias antes de conquistar seu quinto título mundial de F1. Davidson Hamilton, avô do piloto da Mercedes, morreu na última quinta-feira, aos 88 anos, na ilha caribenha de Granada, onde nasceu. A morte do avô fez Hamilton fortalecer ainda mais os laços com o pai e grande incentivador da sua carreira, Anthony Hamilton

A conquista do pentacampeonato mundial de F1 fez, naturalmente, Lewis Hamilton se emocionar. Mas em meio à felicidade por entrar de vez na galeria dos maiores pilotos de todos os tempos e por igualar o número de títulos de Juan Manuel Fangio, havia um pouco de tristeza no seu coração. É que dias antes da conquista, mais precisamente na última quinta-feira, Lewis soube da morte do avô paterno, Davidson Hamilton, aos 88 anos. De acordo com o diário ‘Daily Mail’, Davidson morreu na ilha caribenha de Granada, onde nasceu o patriarca.
 
Hamilton só revelou o passamento do avô durante a entrevista coletiva para falar sobre a conquista do pentacampeonato no último domingo (28) após a disputa do GP do México. Hamilton se emocionou ao falar da família, da perda do avô e do quanto a morte de Davidson o aproximou ainda mais do pai. Anthony Davidson foi o grande incentivador da sua carreira e atuou como agente nos seus primeiros anos como piloto do Mundial de F1.
 
“Na verdade, esse tem sido um fim de semana muito difícil, porque o meu avô morreu na quinta-feira pela manhã. Naturalmente, quando alguém falece, isso une um pouco mais a família. Ele era o padrinho da família, e isso também serviu para lembrar o quanto eu e meu pai somos próximos, nos deixou ainda mais próximos”, disse Lewis.
Lewis Hamilton ao lado do avô, Davidson (Foto: Lewis Hamilton/Instagram)
Foi com muito orgulho que Hamilton falou sobre o pai. Lewis voltou no tempo e recordou a importância de Anthony como pai e incentivador e reforçou sua grande admiração. “Eu jamais vou esquecer as coisas que ele fez para eu estar aqui e para a nossa família crescer. Eu sempre quis ser como ele, como um homem forte, negro, pai e um ser humano incrível, que fez tudo que ele fez em tempos muito difíceis”.
 
“É um testemunho de onde estamos. Acho que, por todo esse trabalho que ele teve, meu avô deve ter ficado orgulhoso. Tão orgulhoso de nós. E grato ver o nome Hamilton ser tão respeitado, ter o nome Hamilton na história. O que é muito louco de se pensar”, declarou.
 
Davidson Hamilton deixou a ilha de Granada e imigrou para o Reino Unido em 1955 na esteira de tempestades que destruíram as árvores do seu cultivo de noz moscada na cidade de Grand Roy. Davidson tinha a fama de ser bom na pilotagem de motos. Um gosto compartilhado pelo neto mais famoso.
 
Na chegada à Inglaterra, inicialmente Davidson se estabeleceu no oeste de Londres, onde trabalhou como funcionário do metrô. Em 1963, nasceu Anthony. Pai e filho Hamilton se mudaram para Stevenage pouco depois da morte da esposa de Davidson. Lewis nasceu em Tewin em 7 de janeiro de 1985.
 
E foi Anthony quem mais lutou para oferecer ao menino Lewis as condições para poder começar sua carreira no kartismo. O pai, desde cedo, foi quem mais apostou no talento que Hamilton filho mostrava desde criança. A aposta virou não apenas realidade, mas eternizou o sobrenome Hamilton na história da F1.
 
“Honestamente, no centro de quem eu sou, sempre vou lembrar do meu pai andando pela pista e observando tudo. Isso quando eu tinha uns oito anos de idade. Havia um garoto, o nome dele era Nicky Richardson. Ele era muito rápido, olhava e pensava: 'Eu tenho de achar um jeito de ser melhor do que ele'. Então, meu pai começou a observar como ele pilotava, onde freava e me dizia: 'É aqui que você tem de frear'. Nenhum pai fazia isso”, contou.
 
“Então eu tentava frear e rodava, tentava ir no mesmo ponto e errava. Mas ele estava sempre ali. Até que consegui fazer o que ele havia dito, por isso acabei conhecido também por frear tarde. Hoje nem faço mais isso, porque não preciso. Esses foram momentos muito especiais para nós, pelos quais luto até hoje e estão no centro de quem eu sou”, recordou Lewis Hamilton, emocionado por lembrar da sua origem e no que se tornou.
 
E o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 acontece este ano nos dias 9, 10 e 11 de novembro, no autódromo de Interlagos. Os ingressos para a corrida estão disponíveis no único site oficial do evento: www.gpbrasil.com.br.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube