F1

"Íntegra e com boa reputação", Haas joga bucha de briga interna na mão da Rich Energy

A Haas não está preocupada com sua imagem após todos os problemas com a Rich Energy. Günther Steiner, chefe da equipe, afirmou que como o time não fez nada de errado, não tem porque ficar com a imagem prejudicada por estar associada com a empresa

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
A Haas esteve no centro das atenções nesta semana por todo o problema causado pela Rich Energy. Entretanto, Günther Steiner, chefe da equipe, descartou que a imagem da equipe tenha ficado prejudicada pelo episódio.
 
Na quarta-feira, através de suas redes sociais, a patrocinadora-máster postou uma mensagem que não estava mais apoiando o time pelo baixo desempenho. Depois, voltou atrás dizendo que foi um “indivíduo desonesto” quem havia escrito. Por fim, o diretor-executivo afirmou que foi uma tentativa de golpe.
 
A esquadra norte-americana, por outro lado, não se envolveu na polêmica, apenas emitindo um comunicado informando que a empresa seguia como a principal patrocinadora da escuderia.
 
Neste sábado, em Silverstone, Steiner comentou sobre o caso, ressaltando que não quer entrar em uma briga de poderes. “Não estamos no controle do que a Rich Energy faz internamente. Nem queremos estar. Não queremos ser parte disso, nossas mãos já estão ocupadas o suficiente”, disse.
Kevin Magnussen (Foto: Haas)
“Eles estão cuidando disso e a equipe que quer assumir, eles querem continuar conosco. É isso o que estaremos conversando nas próximas semanas, sobre como e se vamos continuar com eles”, continuou.
 
Ao ser questionado se estava desconfortável com a situação, afirmou que “não é nem desconfortável porque não sei o que vem em seguida. Não estou no controle. Não tem nada a ver conosco e, embora dissesse que não me importo, isso seria diligente. É o que é, vamos trabalhar nisso. Faremos nosso melhor e não quero controlar nada do que está acontecendo.”
 
Por fim, Günther descartou qualquer ideia da imagem da Haas ficar prejudicada por estar associada a Rich Energy. “Você acha que está prejudicada? O que a Haas fez de errado? Como pode prejudicar a Haas se não fizemos nada errado? Não acho que estamos prejudicados, não é nossa briga”, falou.
 
“Há uma clara linha entre nós, eles nos pagam para fazer propaganda e nós fazemos nosso trabalho. Não acho que estamos prejudicados como equipe porque somos íntegros como companhia. Fizemos tudo, na verdade temos boa reputação, já que não reagimos”, continuou.
 
“Somos profissionais e nos mantemos de fora de coisas que não controlamos. Apenas lidamos com as coisas que aconteceram. Vamos manter o nosso lado das coisas e, se eles têm um problema, então será assim. Precisa de muito para me dar dor de cabeça”, encerrou.
 

Paddockast #24
A BATALHA: Indy x MotoGP


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.