F1

Kubica credita resultado ruim da Williams à falta de peças de reposição e diz: “Ainda tivemos de evitar as zebras”

De volta ao grid da F1 depois de nove anos, Robert Kubica comentou sobre os problemas que teve nas duas primeiras sessões de treinos livres. Segundo o polonês, contratempos no assoalho e a falta de peças de reposição seguraram o desempenho do carro que ficou com as últimas posições nas duas atividades

Grande Prêmio / Redação GP, de Campinas
A Williams foi o destaque negativo dos primeiros treinos livres para o GP da Austrália. A equipe teve os pilotos Robert Kubica e George Russell nas últimas posições e andando até 2s mais lentos que Lando Norris, da McLaren, que ficou em 18º nas duas sessões. Retornando para a F1 depois de nove anos, o polonês Kubica comentou sobre os problemas que atrapalharam o time de Grove, nesta sexta-feira (15).

Segundo o piloto, os pequenos contratempos no assoalho do carro comprometeram os tempos registrados. A falta de aderência nas duas atividades também foi um obstáculo encontrado pelo  polonês, que foi 19º na primeira sessão e 20º na segunda. "Infelizmente, o segundo treino foi bem comprometido por conta dos danos", citou. "Não foi uma grande tarde. Pela manhã, tivemos muitos problemas de aderência", comentou Robert.

Os problemas no assoalho forçaram o piloto do carro #88 a evitar as zebras do circuito de rua de Albert Park. Kubica informou que a equipe está com falta de peças de reposição, mas falou que viu pontos positivos no segundo treino livre.
Robert Kubica (Foto: Williams)
"Tivemos de ficar longe das zebras, então, não foi fácil, especialmente quando você luta pra permanecer na pista. Mas o ponto positivo foi que a tarde foi melhor", declarou.

A Williams iniciou 2019 com problemas após a licença do diretor-técnico Paddy Lowe. Kubica, que não alinha para uma corrida desde 2010, por conta de um acidente em rali, criticou o carro anteriormente, mas procurou ver um lado positivo nas coisas mesmo com o FW42 virando 1s mais lento que o seu antecessor.
 
"O carro é difícil de pilotar, e se você encontrar mais danos, é ainda mais difícil. É bom estar aqui, apesar de soar estranho porque normalmente, quando você está lento, é difícil de achar pontos positivos", finalizou.

O terceiro treino livre, no sábado, começa 0h (horário de Brasília). A classificação está programada para 3h. O GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e em TEMPO REAL todas as atividades do fim de semana do GP da Austrália, prova que abre a temporada 2019 do Mundial de F1. Siga tudo aqui.