F1

Hamilton lidera domínio da Mercedes e termina sexta-feira com melhor tempo na Austrália. Verstappen é 3º

Se o primeiro treino livre foi marcado pelo equilíbrio de forças e cinco carros separados por 0s2, a sessão da tarde teve a Mercedes sobrando. Lewis Hamilton foi o mais rápido com 1min22s600, com Valtteri Bottas 0s048 atrás. Max Verstappen foi o terceiro, com Pierre Gasly em quarto, superando a Ferrari de Sebastian Vettel
Grande Prêmio / FERNANDO SILVA, de Sumaré
GUIA 2019
🏁 F1 abre ano de briga de gigantes, coadjuvantes de luxo e grid jovem
🏁 F1 reformula regras para resolver velho dilema da falta de ultrapassagens
🏁 Hamilton busca perfeição em 'temporada mais difícil' para colar em Schumacher
🏁 Atrás de tirar Ferrari da fila, Vettel tenta se livrar do peso dos erros em ano decisivo
🏁 Mudanças, revanche e carros diferentes: como Mercedes e Ferrari retomam duelo
🏁 
Red Bull busca renascimento com aposta na Honda e na liderança de Verstappen
 
Apenas 0s267 separaram os cinco primeiros colocados no primeiro treino livre do GP da Austrália, com menos de 0s1 entre Lewis Hamilton, Sebastian Vettel e Charles Leclerc. Mas a tarde desta sexta-feira (15) em Melbourne mostrou uma dinâmica muito mais parecida com o que foi visto na parte final da temporada passada, com a equipe prateada dando as cartas com o pentacampeão do mundo. Hamilton fechou o dia que marcou o início dos trabalhos no circuito Albert Park com o melhor tempo, 1min22s600, enquanto Valtteri Bottas completou a dobradinha da Mercedes, terminando 0s048 atrás.

Max Verstappen encerrou a tarde na terceira posição, deixando uma ótima impressão do novo RB15 empurrado pelo motor Honda. A surpresa da sessão foi a presença de Pierre Gasly, que terminou na quarta colocação. O francês, que estreia oficialmente pela Red Bull neste fim de semana, foi apenas o oitavo colocado no primeiro treino livre, mas conseguiu terminar a tarde à frente da Ferrari, tendo seu melhor tempo 0s842 mais lento em relação a Hamilton.

Sebastian Vettel foi o quinto colocado, mas com a Ferrari desta vez bem mais longe da Mercedes: exatos 0s873 atrás. Destaque, novamente, para Kimi Räikkönen, novamente sexto lugar com a Alfa Romeo, a menos de 1s da marca registrada por Hamilton. O 'Homem de Gelo' foi o melhor do resto, terminando à frente das Renault de Nico Hülkenberg e Daniel Ricciardo, sétimo e oitavo, respectivamente. Charles Leclerc, com a outra Ferrari, foi o nono antes de rodar no fim do treino, e Romain Grosjean colocou a Haas no top-10 da sessão.
Lewis Hamilton deu o tom com uma Mercedes que sobrou nesta tarde em Melbourne (Foto: Mercedes)
As duas últimas posições da sessão foram novamente dominadas pela Williams. George Russell se colocou em 19º, mas com diferença de 3s853 para o melhor tempo estabelecido por Hamilton. A diferença para o antepenúltimo colocado, Lando Norris, foi de 1s7. Desta vez, Robert Kubica ficou na rabeira, com 4s055 de défict para Hamilton.

Com o desfecho das atividades de pista nesta sexta-feira, a F1 retorna neste sábado com o terceiro treino livre e a sessão classificatória que vai definir o primeiro grid de largada da temporada. O GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e em TEMPO REAL o GP da Austrália. Siga tudo aqui.

Saiba como foi o segundo treino livre do GP da Austrália de F1


Enquanto Kimi Räikkönen foi o primeiro piloto a deixar os boxes na sessão da manhã, coube a Romain Grosjean abrir os trabalhos de pista no treino livre da tarde em Melbourne. Quem também trabalhava muito, mas nas garagens, era a equipe de mecânicos da Toro Rosso, ainda por conta da batida sofrida por Alexander Albon no TL1. O empenho estava em liberar o tailandês para a sequência do treino final de sexta.

O franco-suíço deixou os boxes com pneus médios para sua nova Haas preta e dourada. Grosjean anotou 1min25s634 na sua primeira passagem pelo circuito australiano à tarde. Na sequência, a pista ganhou a presença da maioria dos pilotos, com os jovens Charles Leclerc e Carlos Sainz puxando a fila.
Romain Grosjeanchegou a liderar o treino desta tarde em Melbourne (Foto: Haas)
Mas quem tomou a ponta nos primeiros minutos da sessão foi Pierre Gasly. O novo piloto da Red Bull, que não foi bem pela manhã e ficou a 1s do tempo de Max Verstappen, marcou 1min25s401 com os pneus médios para subir para a ponta, seguido por outra surpresa naquele momento, Sergio Pérez, com a Racing Point. Enquanto isso, Räikkönen passeava pela grama com sua Alfa Romeo.

Ainda sem os carros mais fortes na pista, Grosjean voltava para a ponta com 1min24s984, tempo que durou bem pouco na frente porque Kevin Magnussen superou o companheiro de Haas para marcar 1min24s409, também com pneus médios. Naquele momento, com 14 minutos de sessão, a Mercedes liberava seus dois carros para a pista.
Carlos Sainz antes de acelerar o novo carro da McLaren na Austrália (Foto: McLaren)
Assim como Kimi, Sebastian Vettel também passou pela grama entre as curvas 1 e 2, porém sem maiores consequências. A sessão seguia bastante movimentada e tinha Daniil Kvyat, um dos destaques da manhã, subindo para segundo, a 0s3 do tempo de Magnussen. Quem não tinha tantos motivos para sorrir era Daniel Ricciardo, que via a Renault trabalhar para ajustar o assento ao cockpit do seu carro.

O primeiro piloto de ponta a liderar a sessão foi Verstappen, com 1min24s324. Só que o holandês durou apenas alguns segundos no topo da tabela, já que Hamilton fez uma volta soberana para cravar 1min23s582, 0s742 mais rápido que o piloto da Red Bull. Em seguida, Bottas ficou a 0s2 do pentacampeão.

Hamilton conseguiu ser ainda mais rápido e melhorou de novo, com 1min23s206, melhor tempo do dia até então — e 0s7 mais rápido que sua marca obtida no segundo treino livre de 2018. A Mercedes seguia dando as cartas e mantinha a dobradinha com os pneus macios. A Ferrari, com uma programação diferente, figurava em posições do meio para trás com Leclerc e também com Vettel. Em seguida, Ricciardo finalmente abria sua primeira volta rápida da tarde com a Renault, subindo para 11º.
A Williams viveu um dia dos mais difíceis em Melbourne (Foto: Williams)
Com meia hora de sessão, Hamilton tinha 1min23s148 como melhor tempo e 0s291 de frente para Bottas. Verstappen, em terceiro, estava 0s593 atrás, enquanto Magnussen surpreendia com o quarto tempo, mas com diferença de 1s261 em relação ao líder da sessão.

Nos minutos seguintes, as equipes trabalharam com os pneus macios. A dupla da Ferrari e Gasly foram os primeiros a deixarem os boxes com os compostos mais rápidos do fim de semana e, naturalmente, os tempos caíram. O francês chegou a subir para terceiro, somente 0s294 atrás de Hamilton e 0s003 de diferença para Bottas. Vettel subia para quarto, seguido por Räikkönen, mantendo o bom trabalho com a Alfa Romeo.

Na Mercedes, o primeiro a abrir volta com os pneus vermelhos foi Bottas. O finlandês não teve dificuldades para cravar 1min22s648. Na sequência, foi a vez de Hamilton acelerar com os macios e tentar superar a marca do colega de equipe. E assim fez o britânico com 1min22s600, somente 0s048 mais rápido que Valtteri. Segundos antes, a Renault melhorou com seus dois pilotos, com Nico Hülkenberg subindo para sexto, seguido por Ricciardo. Verstappen aparecia em oitavo, mas era o único dentre os dez primeiros a ter seu melhor tempo aferido com os pneus médios.

Já a Williams seguia muito atrás das adversárias. Mas diferente da primeira sessão, George Russell superou Robert Kubica à tarde. Mas o melhor tempo do jovem britânico era 1s7 mais lento em relação ao do antepenúltimo colocado, Lando Norris, da McLaren. Dos três novatos, o melhor posicionado era Alexander Albon, da Toro Rosso.

Nos minutos finais, as equipes aproveitaram as condições da pista para realizar as simulações de corrida, alternando o uso dos pneus macios e médios, predominantes no fim de semana. Apenas Verstappen forçou mais o ritmo e finalmente obteve uma boa marca com os pneus macios, ainda que longe de incomodar a liderança da Mercedes. O holandês registrou 1min23s400, 0s800 atrás de Hamilton.

Assim, a Mercedes consolidou seu domínio no treino da tarde, sendo muito superior às rivais Ferrari — que viu Leclerc rodar no fim do treino — e Red Bull.

F1 2019, GP da Austrália, Albert Park, treino livre 2:

1 L HAMILTON Mercedes 1:22.600   32
2 V BOTTAS Mercedes 1:22.648 +0.048 33
3 M VERSTAPPEN Red Bull Honda 1:23.400 +0.800 33
4 P GASLY Red Bull Honda 1:23.442 +0.842 31
5 S VETTEL Ferrari 1:23.473 +0.873 35
6 K RÄIKKÖNEN Alfa Romeo Ferrari 1:23.572 +0.972 39
7 N HÜLKENBERG Renault 1:23.574 +0.974 37
8 D RICCIARDO Renault 1:23.644 +1.044 31
9 C LECLERC Ferrari 1:23.754 +1.154 35
10 R GROSJEAN Haas Ferrari 1:23.814 +1.214 37
11 D KVYAT Toro Rosso Honda 1:23.933 +1.333 36
12 K MAGNUSSEN Haas Ferrari 1:23.988 +1.388 27
13 L STROLL Racing Point Mercedes 1:24.011 +1.411 38
14 C SAINZ JR McLaren Renault 1:24.133 +1.533 25
15 A GIOVINAZZI Alfa Romeo Ferrari 1:24.293 +1.693 37
16 S PÉREZ Racing Point Mercedes 1:24.401 +1.801 33
17 A ALBON Toro Rosso Honda 1:24.675 +2.075 39
18 L NORRIS McLaren Renault 1:24.733 +2.133 26
19 G RUSSELL Williams Mercedes 1:26.453 +3.853 32
20 R KUBICA Williams Mercedes 1:26.655 +4.055 33
    Tempo 107% 1:28.382 +5.782  
           
REC L HAMILTON Mercedes 1:21.164 24/03/2018  
MV M SCHUMACHER Ferrari 1:24.125 07/03/2004