Hamilton cobra consistência da FIA e diz que “regras não estão claras”. Verstappen retruca

Lewis Hamilton, Max Verstappen e Valtteri Bottas deram pontos de vista distintos quando perguntados sobre a decisão da FIA de não punir o holandês pelo incidente com o heptacampeão no Brasil

F1 NO CATAR, CLASSIFICAÇÃO: HAMILTON POLE, VERSTAPPEN 2° | Briefing

A polêmica decisão da direção de prova da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) para a Fórmula 1 ao manter a não-punição a Max Verstappen depois de rejeitar o pedido de revisão da Mercedes sobre o incidente entre o holandês e Lewis Hamilton no GP de São Paulo foi debatida na coletiva dos três primeiros colocados da classificação do GP do Catar na noite deste sábado (20). Lewis Hamilton criticou a falta de consistência da entidade sobre interpretações distintas para incidentes parecidos e queixou-se de regras que não são claras. Por outro lado, Verstappen entende que tudo ficou esclarecido depois do briefing de Michael Masi com os pilotos na última sexta-feira.

“Não. Não está claro”, bradou o heptacampeão mundial. “Todo piloto, eu acho, exceto por Max, esperava apenas ter uma maior clareza. A maioria dos pilotos pediu clareza, mas não está muito claro”, reclamou.

“Então, sim, ainda não está claro sobre quais são os limites da pista. Claramente não é mais a linha branca, então, ao ultrapassar, vamos em frente…”, disse o pole-position do GP do Catar, sugerindo o que muitos pilotos disseram no paddock nos últimos dias, que a decisão da FIA abre uma perspectiva de ‘liberou geral’ em disputas de pista.

WEB STORIES
+Como ficou o grid de largada do GP do Catar de Fórmula 1

MAX VERSTAPPEN; LEWIS HAMILTON; VALTTERI BOTTAS; GP DO CATAR; LOSAIL;
Decisão da FIA foi tema da coletiva dos pilotos neste sábado no Catar (Foto: Florent Gooden/Getty Images/Red Bull Content Pool)

O fato é que, na visão de Hamilton, a insegurança sobre a aplicação das regras e eventuais punições é algo ruim para a Fórmula 1 porque traz um pano de fundo de incerteza. “Só pedimos consistência. Portanto, se for igual à última corrida, deve ser o mesmo para todos nós nesses cenários e está tudo bem”, sugeriu.

Bottas não foi tão assertivo quanto Hamilton, mas enxerga também que há uma perspectiva de que está tudo permitido depois da não-punição a Verstappen por ter aberto demais sua trajetória na curva da Descida do Lago para impedir a ultrapassagem de Hamilton na volta 48 em Interlagos.

“Está claro que se acontecer um incidente parecido com o do Brasil, então está ok. Mas obviamente é sempre uma linha tênue, mas também a consistência é a chave para sabermos exatamente [o que pode ou não]. Não acho que tenhamos uma explicação do que realmente podemos ou não fazer”, salientou.

“De modo que quero dizer que cada ultrapassagem e cada defesa por posição é diferente, então tenho certeza que eles [comissários] sempre tentam fazer o melhor ao dar as melhores punições, ou então não punir. Não acho que mude nada, vamos em frente, e pelo menos sabemos que isso que Lewis e Max tiveram no Brasil é ok. É bom saber disso”, complementou.

Por outro lado, Verstappen retrucou e disse que não dá para esperar sempre decisões iguais para incidentes de natureza semelhante porque os comissários, no fim das contas, também são diferentes e podem avaliar situações parecidas de maneira distinta.

Max Verstappen apresentou problemas na asa móvel do carro no Catar (Vídeo: Reprodução)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

“Todo mundo é diferente, certo? E cada um tem sua própria maneira de correr, defender e ultrapassar, e é claro que também é muito difícil para a FIA colocar todo mundo no mesmo nível. Claro, eles decidem, mas cada piloto tem uma opinião diferente. Então acho que ontem foi tudo sobre como compartilhar as suas opiniões e depois a FIA explicar seu processo por trás disso”, comentou.

Na opinião de Verstappen, o briefing da direção de prova com os pilotos foi, sim, algo elucidativo. “Acho que percorremos um longo caminho e foi um briefing muito longo. Então, sim, acho que no final ficou muito claro”, reportou o líder do campeonato.

Hamilton, em contrapartida, respondeu e reforçou sua opinião. “Não está claro, como eu disse. Eles disseram que vai ser diferente com comissários diferentes. Se tivéssemos os mesmos da semana passada, essa semana seria de uma forma, então vamos ver”, concluiu.

O GP do Catar de Fórmula 1 tem largada prevista para 11h (de Brasília, GMT-3) deste domingo, sempre com transmissão ao vivo pela Band na TV aberta e pelo serviço de streaming F1 TV Pro. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar