Volta das ‘Flechas de Prata’ “não faz diferença” em luta antirracista, diz Hamilton

Lewis Hamilton acredita que "não fará diferença" na luta antirracista se a Mercedes voltar a utilizar a cor prata em seus carros em 2022

A organização do GP de Miami anunciou a data da corrida na temporada 2022 da F1 (Vídeo: Miami GP)

Voz ativa do movimento ‘Black Lives Matter’ dentro da Fórmula 1, Lewis Hamilton já conquistou avanços importantes sobre a discussão do racismo na categoria. Um dos maiores símbolos de apoio à luta do heptacampeão foi a mudança da tradicional cor prata da Mercedes para uma pintura preta em 2020, que se manteve na atual temporada. Com pensamento já em 2022, Hamilton afirmou um possível retorno da equipe alemã à pintura original das ‘Flechas de Prata’ não mudaria nada por conta do compromisso do time com a luta antirracista em aspectos ainda maiores.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Hamilton aproveitou para revelar que não está envolvido nas discussões a respeito do próximo ano e que se surpreendeu em ver a equipe manter a pintura ‘alternativa’ para 2021 como forma de seguir apoiando a luta antirracista, algo muito celebrado pelo heptacampeão.

“Não tenho um sentimento particular em relação a isso. Não estou envolvido nessa conversa para o próximo ano. Originalmente somos as ‘Flechas de Prata’. Quando perguntei se poderíamos fazer o carro preto no ano passado, em termos de simbolismo, esperava que a intenção seria fazer avanços em termos de apoio. Não esperava que duraria tanto tempo, chegando a uma segunda temporada, o que é incrível”, disse Lewis em entrevista veiculada pelo site britânico GPFans.

Lewis Hamilton diz que volta da Mercedes ao tradicional prata não muda em nada na luta antirracista abraçada pela equipe (Foto: Mercedes)

Hamilton ainda elogiou o trabalho interno que a equipe de Brackley faz para combater o racismo e promover maior igualdade. Além das ações conhecidas, o heptacampeão revelou que a equipe anglo-alemã trabalha com seus parceiros em ações de conscientização e promoção da igualdade.

“Se voltarmos ao passado, foi uma mudança muito bacana, que não nos impediu de continuar as mudanças internas que fazemos. Continuamos lutando por diversidade, trabalhando com todos nossos parceiros. Outro dia, com a UBS — empresa de logística e parceira da Mercedes —, eles trouxeram algumas crianças, tentando inspirar a próxima geração de jovens diferentes de todas as origens. Temos um bom programa em andamento, então não faz diferença”, complementou.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

COMO NORRIS NO GP DA RÚSSIA DE F1 LEMBROU BARRICHELLO NO GP DA ALEMANHA 2000

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar