Magnussen ressalta histórico da Haas: “Tem equipe que nunca ficou no top-5”

Kevin Magnussen reconhece que é difícil esperar algo da Haas no fim de 2019, mas prefere olhar para o lado positivo. O dinamarquês ressaltou a rápida evolução da equipe na F1, alcançando o quinto no Mundial de Construtores em 2018

A Haas pode não estar fazendo um grande trabalho em 2019, ficando na frente somente da Williams no Mundial de Construtores, mas isso não impede Kevin Magnussen de se sentir orgulhoso. O piloto dinamarquês, falando sobre a fase ruim, tratou de ressaltar a rápida ascensão dos americanos no grid, alcançando o quinto lugar em 2018 – algo que, afinal nem todo mundo consegue.
 
“É duro, mas você precisa encarar isso”, disse Magnussen ao GRANDE PRÊMIO, falando sobre 2019. “A Haas existe há quatro anos. Três foram bons, mas nesse demos um passo para trás. Acredito que vamos nos recuperar no próximo. É uma equipe que ficou em quinto no Mundial em seu terceiro ano, e lutando pelo quarto lugar. Há equipes que estão aqui há anos e nunca conseguiram um top-5. A Toro Rosso, por exemplo, nunca ficou entre os cinco, e nós fizemos isso no terceiro ano. Nós erramos esse ano, mas a equipe entendeu isso e vamos corrigir”, seguiu.
 
O quinto lugar de 2018 foi o ponto alto de uma rápida evolução, num espaço de apenas três anos. Em 2019, a equipe nunca conseguiu se entender com os pneus Pirelli e terminou com um carro que piorava mesmo com a introdução frequente de atualizações. O esforço não ajudou a resolver a dificuldade de Magnussen e Romain Grosjean em lidar com o VF-19 em trechos de baixa velocidade.
Kevin Magnussen tem um ano difícil, mas ainda se orgulha da Haas (Foto: Haas)

“Em Austin, no primeiro setor, eu fiz um tempo roxo [melhor parcial de todas], mas acabei em 16º. A gente é muito bom em altas velocidades, mas sofre muito em baixa. Mas não vou ficar só passeando, vou tentar arrancar um ou dois pontos”, recordou, falando sobre expectativas para Interlagos.

 
“Eu não vejo nenhuma tendência [de performance]. Nós fomos bem na Austrália, em Barcelona, em Mônaco e na Rússia. É difícil ver uma tendência. A gente conhece os aspectos do carro, entende que ele está andando abaixo do que se esperava”, comentou.
 
Magnussen já está confirmado na Haas para 2019. O dinamarquês segue ao lado de Grosjean, de contrato renovado.

O GRANDE PRÊMIO cobre in loco o GP do Brasil com os jornalistas Evelyn Guimarães, Felipe Noronha, Fernando Silva, Flavio Gomes, Gabriel Carvalho, Gabriel Curty e Pedro Henrique Marum, e o fotógrafo Rodrigo Berton. Acompanhe todo o noticiário aqui e tudo dos bastidores e das atividades em pista AO VIVO e em TEMPO REAL

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar