Mais do que Mercedes e Red Bull, Hamilton e Verstappen correm em liga própria em Singapura

Não é segredo algum o fato de que os carros de Mercedes e Red Bull se sentem mais à vontade em um circuito como o de Marina Bay, mas o que Lewis Hamilton e Max Verstappen fizeram nesta sexta-feira vai um pouco além. Ambos parecem em um campeonato próprio, o que só complica ainda mais a tarefa da Ferrari em Singapura – e dos próprios companheiros de equipe

Se Monza e Spa-Francorchamps eram pistas feitas sob medida para a SF90 da Ferrari, Singapura tem o mesmo efeito no W10 da Mercedes e no RB15 da Red Bull, esse último, especialmente. As 23 curvas e a natureza mais técnica do traçado de Marina Bay apenas acentuam os pontos fortes dos dois modelos. Ou seja, o desempenho com uma configuração de alto downforce. Por isso, não é de se espantar que Lewis Hamilton e Max Verstappen tenham liderado o dia nesta sexta-feira (20). Ambos terminaram separados por apenas 0s184 – o que já deixa a expectativa de uma disputadíssima classificação no sábado. Mas há mais a falar sobre isso.
 
Chama a atenção o fato de que Hamilton e Verstappen comandaram o dia com uma folga assustadora não só para a rival Ferrari, mas também para os próprios companheiros de equipes. Terceiro colocado na tabela, Sebastian Vettel fechou a noite a 0s818 da marca de Hamilton, enquanto Valtteri Bottas apareceu 1s1 atrás, na quarta colocação, e à frente de Alex Albon, que também tomou mais de 1s. Quer dizer, o fim de semana já começa com Hamilton e Verstappen em um campeonato próprio. O que também pode ser garantia de uma prova das mais interessantes – quem não se lembra do que aconteceu na Hungria, não é?
Max Verstappen tem apenas um objetivo neste sábado: a primeira fila do grid (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

Os dois apresentaram um ritmo impressionantemente semelhante, especialmente quando andaram com os pneus macios em simulação de classificação. A briga pela pole, portanto, já tem seus candidatos e ninguém parece forte o suficiente para superá-los. Bottas, por exemplo, errou durante o TL1 e bateu. No treino da noite, sequer pode acompanhar a performance de Hamilton ou a de Max. Já Albon cometeu pequenos erros aqui e ali, próprios da adaptação, até que bateu relativamente forte na barreira de pneus na curva 10. A vida será um pouco mais complicada para alcançar Max, ainda mais em uma pista tão difícil e exaustiva quanto Marina Bay e seus mais de 5 mil metros. 

 
Mas se a definição do grid parece acirrada na ponta, a corrida pode apresentar um único favorito. A verdade é que a Red Bull de Verstappen não conseguiu imprimir o mesmo ritmo de Hamilton no ensaio de prova. O pentacampeão se colocou ainda mais forte e, sem qualquer erro, foi o mais rápido em toda a condição. De fato, Lewis é que tem a faca, o queijo e a goiabada nas mãos. E tanto é verdade que, usando os compostos vermelhos, por exemplo, Hamilton andou na casa de 1min44s7, 1min44s8, 1min45s2. Já Verstappen virou tempos em 1min45s6, 1min45s8, 1min45s9. É uma diferença considerável.
 
Ainda assim, o inglês foi comedido em sua análise, além de incluir a Red Bull entre suas preocupações. "Foi um dia sólido. Há tempos não me sentia tão bem no carro, então espero manter essa sensação durante todo o fim de semana. Eles refizeram algumas partes do traçado, por isso também conseguimos fazer os pneus funcionarem bem. Estou feliz. Mas nada é perfeito e, definitivamente, temos alguns pontos para melhorar. Começamos vem, mas a Red Bull também parece forte aqui. Não será fácil", disse.
 
O mesmo aconteceu com Verstappen, o que apenas corrobora a avaliação de que ambos estão mesmo em um degrau acima na comparação com os adversários. "Testamos várias coisas que acabaram por funcionar bem. A sensação geral dentro do carro foi muito boa, o carro funcionou bem durante as duas sessões. Claro que sempre há coisas que poderiam ser melhores, mas tudo correu bem. Parecemos competitivos, embora Lewis também pareça muito forte", afirmou o holandês, que liderou a primeira sessão do dia.
Sebastian Vettel vem mais atrás (Foto: Ferrari)

Havia uma expectativa também de que a Ferrari pudesse colocar mais próxima das duas oponentes. Mas o time enfrentou problemas – foi necessária a troca de câmbio no carro de Charles Leclerc – e, além disso, não foi capaz de tirar proveito do pacote de maior pressão aerodinâmica levado para Singapura. O ritmo de corrida é ainda maior na comparação com Hamilton. Vettel andou melhor que o monegasco, mas ambos ficaram a quase 2s do pentacampeão, com o mesmo pneu. "Eu acho que a Mercedes foi muito forte hoje, mas acho que você pode notar isso não apenas na volta e nos tempos. No geral, eles foram melhores. Da nossa parte, eu acho que podemos fazer melhor, nós podemos melhorar o carro, então vamos ver", falou o tetracampeão.

 
Impressionou ainda como a McLaren se pôs próxima à Ferrari de Leclerc – menos de um décimo – e à frente da Renault. O pelotão intermediário, pois, promete também uma dura briga a partir deste sábado.

A F1 volta a acelerar em Singapura na tarde deste sábado, ainda manhã no Brasil, a partir de 7h (horário de Brasília), enquanto a sessão que vai definir o grid de largada acontece às 10h. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REALSiga tudo aqui.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube