Verstappen diz que F1 “está aqui só para festas”, mas precisa oferecer esporte aos fãs

Max Verstappen foi um crítico ferrenho da espetacularização da Fórmula 1 durante todo o final de semana do GP de Las Vegas, especialmente antes das atividades de pista. Depois, explicou em um longo desabafo sobre os rumos atuais da categoria

Max Verstappen foi um crítico feroz do espetáculo criado pela Fórmula 1 para o GP de Las Vegas. Vencedor da prova do último domingo (19), o holandês chegou a dizer que já correu em pistas melhores, mas chamou a atenção mesmo na apresentação dos pilotos feita na quinta-feira (16) passada.

Durante a cerimônia, que contou com quase uma dezena de atrações musicais ao longo de 27 minutos e reservou mais ou menos 180 segundos para os pilotos — que saíram de elevadores dentro de caixotes iluminados uma equipe por vez —, Verstappen transpareceu, durante a participação breve, que não estava muito contente. Depois, explicou melhor.

Relacionadas


“Eu acho que um pouco de elemento midiático é importante. Eu gosto de emoção. E, para mim, quando eu era criança, era sobre a emoção do esporte que eu me apaixonei e não o show no entorno. Porque acho que, como piloto, nada disso deveria importar”, afirmou

“Acho que é mais sobre as pistas de verdade. Quando você vai a Spa, Monza… esses lugares possuem muita emoção e paixão. Ver os fãs ali é algo incrível e para nós também. Quando entro no carro, me empolgo e amo pilotar nesses lugares. Claro que entendo os fãs, eles precisam de algo para fazer pela pista”, completou o tricampeão.

Max Verstappen não se empolgou muito com Las Vegas (Foto: Red Bull Content Pool)

Verstappen ainda ressaltou que é importante a Fórmula 1 explicar melhor para os novos fãs como funciona o esporte, quais as formas de desenvolvimento e, assim, incluir os torcedores na rotina dos pilotos. E que a festa pode ser um acessório importante durante os finais de semana de corridas, mas não o principal.

“Acho que é mais importante fazê-los entender o que fazemos como esportistas porque muitos deles só estão aqui para festas, beber ou ver uma performance de DJ. As pessoas chegam aqui e se tornam fãs do quê? Elas querem ver seu artista favorito e tomar alguns drinks com amigos, mas não entendem o que estamos fazendo ou como nos arriscamos para performar. Acho que devemos investir mais tempo no esporte e o que tentamos fazer aqui”, pontuou o piloto da Red Bull.

“Se o esporte colocar mais foco nessas coisas e também explicar mais o que as equipes estão fazendo, buscando e trabalhando. Essas coisas eu acho que são mais importantes para observar do que esses shows aleatórios. Não é o que me encanta, gosto da paixão e da emoção nesses lugares. Eu amo Las Vegas, mas não para pilotar um carro de Fórmula 1. Como eu disse: falta emoção e paixão em relação a pistas antigas”, finalizou.

Fórmula 1 retorna neste final de semana, entre os dias 24 e 26 de novembro, com o GP de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, 22ª e última etapa da temporada 2023. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.