F1

McLaren encerra temporada 2013 sem nenhum pódio pela primeira vez desde 1980 e iguala recorde negativo

Na virada das décadas de 1970 e 1980, equipe inglesa atingiu marca impressionante de 34 corridas longe do top-3. Quarto lugar de Jenson Button em Interlagos, no entanto, salvou time de igualar pior ano da história, em 1966, quando melhor resultado foi um quinto lugar

Warm Up, de Interlagos / HUGO BECKER, de Guarulhos
 

A quarta posição de Jenson Button no GP do Brasil, 19ª e última etapa da temporada 2013 da F1, até poderia ser celebrada de forma digna pela McLaren, já que representa a melhor classificação final do time no ano. A verdade, porém, é que não há muito pouco a ser comemorado: a escuderia britânica conseguiu igualar um recorde negativo de 33 anos, o de um campeonato inteiro sem pódios, algo que não acontecia desde 1980.
 
Naquela virada de década, a equipe de Woking viveu dias tenebrosos. John Watson, então primeiro piloto da esquadra, conseguiu a terceira posição na etapa de abertura do campeonato de 1979, o GP da Argentina, no tradicional circuito Oscar Gálvez. No entanto, o norte-irlandês só conseguiu voltar a completar uma corrida no top-3 incríveis 34 corridas depois, apenas no GP da Espanha de 1981, oitava rodada daquele ano.
Jenson Button em Interlagos (Foto: Carsten Horst/Hyset)
Ao menos esta marca negativa permanece em aberto na McLaren atual. Com a sequência de 2013, o time passou "apenas" 19 corridas longe do pódio. 
 
Outro recorde que não esteve tão longe de ser igualado – este demandaria um pouco mais de incompetência pelos lados de Woking – é o de pior ano da história do time. Foi em 1966, ano de estreia da escuderia, quando o melhor que Bruce McLaren conseguiu foi um quinto lugar no GP dos EUA, em Watkins Glen. Ao menos isso, Button salvou em SP. 

GRANDE PRÊMIO acompanha 'in loco' os eventos que cercam e o GP do Brasil de F1 em Interlagos com os repórteres Flavio Gomes, Evelyn Guimarães e Felipe Giacomelli. Acompanhe o noticiário aqui.