McLaren pressiona Honda e revela “impaciência” para voltar ao topo da F1: “Queremos vencer amanhã”

Diretor de corridas da McLaren, Éric Boullier mostrou estar agoniado com a atual situação da equipe. Mesmo depois de um resultado alentador conquistado em Hungaroring, o engenheiro francês quer mais: ver seu time no topo da F1. Por isso, pressiona a Honda: “Queremos vencer amanhã, eles querem ganhar algum dia”

VIU ESSA? INDIANÁPOLIS RECEBE PEGA ENTRE MOTOGP E INDY

determinarTipoPlayer(“15565662”, “2”, “0”);

Embora partilhem da mesma sede de vitórias na F1, a McLaren quer alcançar seu objetivo imediatamente, enquanto a Honda trabalha num projeto de longo prazo no desenvolvimento da sua unidade de força. Tal situação deixa extremamente impaciente o responsável pela equipe na F1, o diretor de corridas Éric Boullier. O engenheiro francês revelou estar agoniado com a diferença de abordagem do seu time em relação à fábrica japonesa, embora tenha defendido a parceira em entrevista à revista britânica ‘Autosport’.

O resultado alentador conquistado pela McLaren no GP da Hungria, onde Fernando Alonso cruzou a chegada em quinto lugar numa corrida com várias variáveis, não basta para Boullier. O diretor quer ver a McLaren de volta ao lugar mais alto da F1, lugar que não frequenta desde o fim da temporada 2012, quando Jenson Button venceu o GP do Brasil, em Interlagos.

Boullier partiu em defesa da Honda no sentido de reconhecer que a fábrica japonesa está atrás das rivais. Mas o dirigente pede pressa.

A cúpula da McLaren tem pressa para voltar a vencer na F1 (Foto: Getty Images)

Renault, Mercedes e Ferrari mudaram seus recursos para a nova tecnologia híbrida, mas as pessoas que trabalham lá já tinham conhecimento da atual tecnologia da F1. A Honda decidiu recriar um programa de F1 em longo prazo, mas a partir do zero”, reconheceu o engenheiro.

“A maioria das pessoas em Sakura não tem a experiência ou mesmo o conhecimento da tecnologia atual da F1. Trata-se de um longo caminho a percorrer: primeiro, acumular o conhecimento, a experiência, construir a organização com base nisso e também as operações, já que eles começaram literalmente a partir do nada”, comentou.

Embora entenda que a McLaren está em posição privilegiada por contar com uma parceria com a Honda, Boullier sabe que não há tempo a perder na F1. “Às vezes temos de pressionar, às vezes temos um pouco de frustração, mas no fim das contas ambos querem estar juntos. Estamos impacientes e nós, definitivamente, odiamos estar nesta posição hoje.”

“Mas o fato é que todas as outras equipes da F1, exceto Mercedes e Ferrari, obviamente, sonham em ter uma parceria igual ao que temos com a Honda na F1. Nosso único ponto de discussão é o timing: queremos vencer amanhã, eles querem ganhar algum dia”, explicou.

“No fim das contas, temos de respeitar o cronograma da Honda. Mas, obviamente, a Honda tem de respeitar as nossas necessidades. Somos uma equipe de F1, e nosso modelo de negócios é baseado no nosso sucesso. Precisamos ser bem-sucedidos e não podemos ficar longe do sucesso por muito tempo. A Honda sabe disso”, acrescentou Boullier.

Por fim, o diretor da McLaren pediu um maior alinhamento das filosofias da equipe e também da Honda para que, enfim, o casamento possa render bons frutos para ambos. “Eles têm suas próprias razões e seu próprio roteiro para voltar à F1, cabe a nós aceitar. A única coisa que precisamos fazer é garantir que os canais de comunicação estão abertos o bastante para que todos estejam escutando a todos, e ajustar isso aos poucos para que as estratégias estejam mutuamente adequadas”, finalizou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube