McLaren projeta salto de qualidade, busca performance similar à Force India e mira pódios ocasionais em 2016

Éric Boullier adotou um discurso pés no chão ao traçar uma perspectiva mais realista para a McLaren em 2016. O diretor de corridas da equipe não acredita que o time poderá chegar a um patamar parecido com o conquistado pela Force India neste ano

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Terminado o calvário que foi a temporada 2015 do Mundial de F1 para a McLaren, todos os trabalhos do time já estão concentrados no ano que vem. O primeiro ano da renovada parceria entre a lendária escuderia de Woking e a Honda não foi dos mais frutíferos, resultando em um modestíssimo nono lugar no Mundial de Construtores, nada condizente com a história vitoriosa da equipe. Para 2016, Éric Boullier, diretor de corridas da McLaren, projeta um considerável salto de qualidade, mas ao mesmo tempo foi claro em dizer que não será, ainda, um ano para voltar a brigar por vitórias e títulos. O engenheiro francês crê em um ano com performance similar ao que a Force India alcançou em 2015.
 
Quanto à concepção do novo MP4-31, Boullier disse que o modelo de 2016 será uma evolução, e não uma revolução na comparação com o carro que Fernando Alonso e Jenson Button guiaram nesta temporada. “Não significa que vamos mudar a filosofia do carro, mas falamos agora de que o carro do ano que vem já está sendo desenvolvido com base no rendimento do carro de 2015”, afirmou o dirigente durante evento da Johnnie Walker, ainda patrocinadora da McLaren, na última sexta-feira (4), em Londres.
Depois de um ano cheio de dificuldades, Éric Boullier projeta um 2016 mais positivo para a McLaren (Foto: Beto Issa)
“A Honda sabe exatamente onde precisa melhorar, e a McLaren também. Acredito que podemos buscar um pódio em 2016”, acrescentou Boullier durante entrevista ao diário francês ‘L’Equipe’. 
 
Segundo informa o diário espanhol ‘Marca’, a McLaren trabalha para que tal salto de qualidade faça a equipe andar com frequência entre o quinto e o décimo lugar com seus dois carros. Basicamente, numa forma muito semelhante ao que alcançou a Force India em 2015 nesta segunda metade da temporada, superando a Lotus (futura Renault) e a Toro Rosso.
 
Curiosamente, a Force India terminou 2015 com sua melhor campanha na história, fechando em quinto lugar, mesma posição ocupada pela McLaren exatamente na temporada anterior.
 
Aliviado por chegar ao fim de 2015, Boullier disse que o maior desafio foi manter a motivação dentro da equipe mesmo diante da falta de resultados e dos inúmeros problemas, conjunto que levou a McLaren à pior temporada da sua história. “No inverno, escrevi duas previsões para 2015. Desde o primeiro dia de testes em Jerez, me dei conta de que seria bem pior que as minhas piores previsões. Provavelmente, a pior parte foi manter a motivação da equipe”, lembrou o francês, que só espera por um 2016 mais positivo para a McLaren.
 
Da parte da Honda, a McLaren espera uma revisão das baterias e um turbo maior, além de um redesenho do MGU-H, responsável pelo reaproveito da energia. Tais pontos foram os mais críticos enfrentados pela Honda em seu retorno à F1 neste ano.
 
“O mais importante é que, daqui até Melbourne, que não apenas deixemos todos os problemas de confiabilidade para trás, mas que nós possamos compreender”, acrescentou Yasuhisa Arai, chefe de esportes a motor da Honda.
 

(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0]; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = “//connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js#xfbml=1&version=v2.3”; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));

E se os carros de F1 forem como este que a McLaren desenhou?http://grandepremio.uol.com.br/f1/noticias/video-mclaren-apresenta-visao-de-f1-do-futuro-com-revolucionario-modelo-conceitual-mp4-x

Posted by Grande Prêmio on Quinta, 3 de dezembro de 2015

PADDOCK GP EDIÇÃO #9: ASSISTA JÁ

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube