Mercedes admite história melhor, mas diz que par com Hamilton “não é bom para Ocon”

Chefe da Mercedes, Toto Wolff defendeu a decisão de não colocar Esteban Ocon na vaga de Valtteri Bottas. O dirigente avaliou que não seria bom para a carreira do francês correr lado a lado com Lewis Hamilton

Toto Wolff voltou a defender a decisão da Mercedes de não colocar Esteban Ocon na vaga de Valtteri Bottas. O chefe do time prateado acredita que não seria bom para o francês correr lado a lado com Lewis Hamilton na Fórmula 1.
 
Ocon era integrante da Mercedes, mas, apesar de Bottas não conseguir fazer frente a Hamilton, foi preterido e acabou se mudando para a Renault, onde vai dividir os boxes com Daniel Ricciardo.
Esteban Ocon (Foto: Reprodução)
Paddockast #46
OS 10 MELHORES PILOTOS DA DÉCADA

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Na visão de Wolff, a decisão da Mercedes foi melhor para a carreria de Ocon, especialmente após ele passar um ano fora do grid.
 
“Deixar Ocon competir com Hamilton, enquanto Lewis está com a Mercedes há sete anos e está no topo de suas habilidades com sua idade, não é bom para Esteban”, avaliou Wolff. “Especialmente depois de ele ter ficado fora por um ano”, ponderou. 
 
Wolff reconheceu que a parceria Hamilton-Ocon seria mais empolgante, mas lembrou que o #44 foi o único piloto estreante a conseguir fazer frente a uma estrela consolidada, uma referência ao confronto de Lewis e Fernando Alonso na McLaren na temporada 2007.
 
“Nós teríamos uma história mais empolgante e, provavelmente, Esteban também teria se saído bem, mas tem só um cara que se saiu bem em seu primeiro ano contra uma superestrela e foi o próprio Lewis Hamilton”, recordou. “Todos os outros pilotos precisaram de tempo”, frisou.
 
“Não queremos arriscar o futuro dele. Ele poderia ter feito coisas para bater Lewis que poderiam não ter sido boas para a carreira dele”, completou.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube