F1

Mercedes admite que ida de Ocon para Williams “não está nas nossas mãos” e fala em ano sabático por 2020

Toto Wolff considera real a possibilidade de Esteban Ocon cumprir um ano sabático pensando no futuro do talentoso francês para 2020. Desta forma, um acordo com a Williams ainda não está totalmente descartado, mas parece estar cada vez mais distante

Warm Up, da Cidade do México / FERNANDO SILVA, de Sumaré / EVELYN GUIMARÃES, do Hermanos Rodríguez
Com o iminente anúncio da ida de Lance Stroll para a Force India — acordo já revelado pelo futuro companheiro de equipe, Sergio Pérez —, a única possibilidade de Esteban Ocon continuar no grid da F1 em 2019 é por meio da Williams. Mas Toto Wolff, chefe de equipe da Mercedes e responsável pela carreira do piloto francês, entende que não há muito o que se possa fazer para influenciar a decisão a ser tomada por Claire Williams para fechar a dupla. De certa forma, a Mercedes já garantiu um piloto na escuderia britânica em 2019: o novato George Russell.
 
Quanto à segunda vaga do time de Grove, são vários os candidatos: desde o atual titular, Sergey Sirotkin, passando pelo reserva Robert Kubica, o russo Artem Markelov e, nos últimos dias, surgiram no paddock os nomes de Nyck de Vries e até do mexicano Esteban Ocon.
 
“Ele e nós entendemos que não seria perfeito [ficar um ano fora da F1], a menos que se abra uma oportunidade de última hora na Williams. Mas não está nas nossas mãos. É a equipe que vai decidir”, salientou o dirigente austríaco durante entrevista coletiva no último fim de semana no México.
Esteban Ocon já começa a ter seu caminho traçado para 2020 por Toto Wolff (Foto: Racing Point Force India)
Na visão de Wolff, a Williams vai optar pela contratação de um piloto que possa trazer bom patrocínio para cobrir as lacunas deixadas com a saída de Stroll e também da Martini, que vão deixar a equipe ao fim do ano. Por isso, Ocon passa a ter cada vez menos chances de ser anunciado como titular do time.
 
“Acho que Claire vai tomar uma decisão que vai beneficiar a Williams desde o ponto de vista comercial e do valor do piloto, e ainda não chegou a uma decisão. Não vai acontecer a curto prazo”, opinou.
 
Por isso, Wolff entende que, diante das poucas possibilidades neste momento, não seria de todo ruim ver Ocon cumprindo um ano sabático pensando em 2020, quando muitas vagas devem ficar livres. Na Mercedes, Lewis Hamilton tem contrato por mais dois anos, enquanto o vínculo com Valtteri Bottas acaba na próxima temporada.
 
“Acho que nos adaptamos a uma situação em que precisaríamos encontrar uma vaga adequada para 2020, ter um ano sabático e integrá-lo muito à equipe. Ocon pode contribuir para a performance da equipe”, complementou.
 
E o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 acontece este ano nos dias 9, 10 e 11 de novembro, no autódromo de Interlagos. Os ingressos para a corrida estão disponíveis no único site oficial do evento: www.gpbrasil.com.br