Mercedes afirma que não tem interesse em parceria com Renault para desenvolvimento de motores

O presidente da Daimler – dona da marca Mercedes – afirmou que, embora as empresas sejam parceiras no desenvolvimento dos carros de rua, não haverá trabalho conjunto para a fabricação dos propulsores da F1

Mercedes e Renault já têm há alguns anos uma parceria na produção e no desenvolvimento dos carros de rua. No entanto, esse acordo não deve chegar à F1. O presidente da Daimler – dona da marca Mercedes –, Dieter Zetsche, afirmou que a principal categoria do automobilismo mundial é uma plataforma importante para a empresa, que não vai abrir mão de construir o próprio propulsor.

“Não. Embora nós tenhamos essa cooperação, não fazemos nenhuma campanha publicitária juntos”, disse o dirigente em entrevista à revista alemã ‘Auto Motor und Sport’. “Nós também já dissemos que, se o motor único for introduzido na F1, isso será nosso sinal para irmos embora”, declarou.

A Mercedes descartou formar uma parceria com a Renault na F1 (Foto: Twitter/Mercedes)

Como a Renault é uma das principais rivais no fornecimento de motores, Zetsche afirmou que a montadora alemã vai continuar construindo o próprio equipamento, e vencer a concorrente francesa e as demais adversárias faz parte da promoção da marca. “O motor é a principal parte para nós, e queremos mostrar que podemos construir o melhor”, disse.

A F1 passa por uma drástica mudança no regulamento em 2014, com a chegada dos novos motores V6 turbo de 1,6 L. Apesar disso, Renault e Mercedes vão continuar trabalhando separadamente, com a montadora germânica fornecendo propulsores para a própria equipe de fábrica, além de Force India, McLaren e Williams.

A Ferrari é a outra fornecedora no próximo campeonato. A partir de 2015, a Honda retorna à categoria, retomando a parceria com a McLaren.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube