Mercedes ajuda na criação de respirador para auxiliar infectados pelo coronavírus

A equipe alemã trabalhou em conjunto com a University College London. Unindo forças, usaram a engenharia reversa e concluíram o projeto em 100 horas, tornando possível a produção em massa

A Mercedes está ativamente envolvida no combate do coronavírus. A equipe alemã, em colaboração com a University College London, desenvolveu um aparelho respiratório de fácil produção para ajudar no tratamento de pacientes infectados pela doença.
 
O dispositivo já foi aprovado pela Organização Mundial de Saúde. Com o nome de Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas [CPAP, sigla em inglês], o aparelho similar tem sido usado nos hospitais da Itália e China. O objetivo é ajudar os infectados pela Covid-19 que estão com problemas sérios nos pulmões e não conseguem respirar sozinhos.
 
Os hospitais do Reino Unido sofrem uma escassez do dispositivo e os esforços da Mercedes e UCL são para atender as necessidades do país. Uma reunião foi realizada na quarta-feira (18) e desde então, os engenheiros da divisão de Trem de força de Alto Desempenho, que fornece motores para o time, Racing Point e Williams, começaram a trabalhar no desenvolvimento do aparelho. 
 
O método usado foi uma engenharia reversa, começando por desmontar um dispositivo não patenteado. Após 100 horas, o respirador estava pronto e aprovado pela Agência Reguladora de Medicina e produtos para a saúde. Com isso, a produção em massa se torna possível.
A Mercedes tem ajudado ativamente no combate do coronavírus (Foto: Mercedes)
“Dada a necessidade urgente, somos gratos que fomos capazes de reduzir um processo que pode durar anos para uma questão de dias”, disse Tim Baker, professor de engenharia mecânica da Universidade.
 
“Dado o direcionamento no início, trabalhamos todas as horas do dia, desmontando e analisando um dispositivo não patenteado. Usando simulações no computador, melhoramos o aparelho para criar uma versão que se encaixe a uma produção em massa” continuou.
 
“Somos privilegiados em ser capazes de recorrer à capacidade da Fórmula 1 – uma colaboração possível pela proximidade entre a engenharia mecânica da Universidade e o departamento de trem de força”, completou.
 
Andy Cowell, chefe da unidade do Trem de força de Alto Desempenho, acrescentou que “a comunidade da F1 tem mostrado uma resposta incrível aos pedidos de ajuda, se unindo no ‘Projeto Pitlane’ para ajudar nas necessidades nacionais neste momento, em diversos projetos.”
 
“Ficamos orgulhosos em disponibilizar nossos recursos a Universidade para entregar o projeto do CPAP no mais alto padrão e o mais rápido possível”, emendou.
 
O ‘Projeto Pitlane’ conta com sete equipes com fábricas na Inglaterra – Red Bull, Racing Point, Haas, McLaren, Mercedes, Renault e Williams. Em parceria com o governo do Reino Unido, estão ajudando na produção de aparelhos médicos para tratar infectados.
 
COMO SE PREVENIR DO CORONAVÍRUS:
 

☞ Lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel.
☞ Cubra o nariz e boca ao espirrar ou tossir.
☞ Evite aglomerações se estiver doente.
☞ Mantenha os ambientes bem ventilados.
☞ Não compartilhe objetos pessoais.


 
Paddockast #54
NO ANO DA DANÇA DAS CADEIRAS, QUEM DEVE FICAR SEM CONTRATO?

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube