Mercedes pede aumento do limite de pontos e reprimendas para pilotos da F1

Ron Meadows, diretor esportivo da Mercedes, afirmou que o aumento do calendário precisa ser seguido com um maior limite de reprimendas e pontos de punição para os pilotos

BAHREIN CONFIRMA: FERRARI É CANDIDATA AO TÍTULO DA FÓRMULA 1 2022

A Mercedes acha que a Fórmula 1 precisa mudar o seu sistema de reprimendas e punições para pilotos. O diretor-esportivo da equipe alemã, Ron Meadows, afirmou que o mecanismo implementado em 2014 precisa ser atualizado, já que o calendário da categoria aumentou e os limites seguem os mesmos.

Atualmente, os pilotos podem receber no máximo 12 pontos dentro de um período de um ano e três reprimendas durante uma temporada antes de sofrerem, respectivamente, uma suspensão de uma corrida e perda de posições no grid.

“Esse direito de revisão é obviamente desafiador para todos, mas acho que no geral não é ruim. Acho que há conversas para aumentar o número de reprimendas que você pode ter, porque a temporada é maior, o que é perfeitamente compreensível. Porque 12 pontos e três reprimendas podem não ser suficientes para temporadas com 23, 24 corridas. Isso foi algo que surgiu quando tínhamos 16, 17 provas”, disse Meadows em entrevista ao site RacingNews 365.

O dirigente também fez uma sugestão sobre uma possível solução: “Aparentemente vamos aumentar para cinco reprimendas, o que acho que é um bom compromisso. Eu optaria por 15 pontos [como limite].”

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Yuki Tsunoda é o piloto com mais pontos de punição na F1 (Foto: AlphaTauri)

LEIA MAIS:
+Hamilton aceita relatório da FIA sobre Abu Dhabi: “Não esperava um pedido de desculpas”

O japonês Yuki Tsunoda foi quem entrou em 2022 com o maior número de pontos acumulados, com oito no total, com a dupla da Red Bull, Max Verstappen e Sergio Pérez, logo atrás com sete tentos cada. Nunca aconteceu de um piloto chegar aos12 pontos e ser proibido de disputar a prova seguinte.

Uma alteração que já foi feita para a nova temporada foi a mudança na direção de prova. Michael Masi deixou o cargo após o polêmico GP de Abu Dhabi, que viu Verstappen conquistar seu primeiro título mundial sobre Lewis Hamilton e a Mercedes. O diretor-esportivo da equipe alemã deu sua visão sobre a decisão da Federação Internacional de Automobilismo.

“Nós vimos no passado que as decisões dos comissários vão favorecer times diferentes em cada ocasião, mas isso faz parte dos seres humanos. E todos temos pontos de vista diferentes nas decisões, então acho que precisamos esperar para ver como vai funcionar. Mas acho que será bom”, opiniou Meadows.

A Mercedes começou a temporada de 2022 da Fórmula 1 com um pódio inesperado de Hamilton, no Bahrein, e agora volta às pistas neste domingo, dia 27 de março, para o GP da Arábia Saudita.

OS PROBLEMAS DA MCLAREN NO GP DO BAHREIN DA FÓRMULA 1 2022
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar