Mercedes vê 2022 como motivação para seguir vencendo: “Tudo foi feito para nos parar”

Chefe e diretor da Mercedes, Toto Wolff reconhece que a revolução que aguarda a Fórmula 1 será um grande desafio

A Fórmula 1 está cada vez mais perto de uma revolução que vai acarretar em grandes mudanças nos regulamentos técnico e esportivo a partir de 2022 e vai compreender a adoção de um carro bastante diferente do atual. Tudo estava pronto para o ano que vem, mas foi adiado em razão da pandemia do novo coronavírus. No meio da Fórmula 1, equipes como a Red Bull, Ferrari e a Renault enxergam neste processo a chance de mudar a ordem de forças do grid e superar a Mercedes. Já o desafio da equipe heptacampeã é justamente o de se manter como a equipe dominante do Mundial.

Na visão de Toto Wolff, chefe e diretor-esportivo da Mercedes, toda a revolução a ser promovida pela Fórmula 1 tem como grande objetivo tirar a equipe do topo da Fórmula 1. E, por tal motivo, há uma motivação ainda maior para permanecer dando as cartas no grid.

“O ano que vem vai ser de transição com os mesmos carros. Como já disse, espero que a Honda tenha um grande impulso. E então, obviamente, este grande desafio de 2022 está à porta. Isso vai nos motivar”, disse o dirigente austríaco em entrevista veiculada pela revista britânica Autosport.

Siga o GRANDE PRÊMIO nas redes sociais:
YouTube | Facebook | Twitter Instagram | Pinterest | Twitch | DailyMotion

Toto Wolff vê grande motivação para seguir vencendo na Fórmula 1 em 2022 (Foto: Mercedes)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“Tudo foi feito para nos parar. Vamos todos lutar em igualdade de condições financeiras, e tudo está praticamente limitado”, comentou Wolff. “Gostaria de nos ver seguindo andando bem, mesmo com a mudança de regras mais dramática que já aconteceu na Fórmula 1”, acrescentou.

Depois de confirmar, em entrevista à emissora austríaca ORF, que vai continuar por mais algum tempo como chefe de equipe na Mercedes, Wolff ressaltou o prazer que tem em estar no comando da escuderia. E reforçou que começa a procurar seu sucessor, mas trata-se de um processo de médio prazo.

“Minha situação é um pouco diferente porque sou coproprietário da equipe com a Mercedes, então nunca vou abandoná-la, porque é exatamente isso o que eu adoro fazer. O que é melhor do que fazer parte de uma equipe esportiva e fazer parte de uma equipe tão fantástica?”, disse.

“O que eu disse é que acredito que todo mundo tem uma vida útil em um papel. Não cheguei ao fim do meu, acho que ainda posso contribuir”, explicou.

“Mas preciso pensar também no meu futuro. Trazer alguém, desenvolvê-lo nessa função, é algo que é um desafio fantástico para mim, vai ser um dos próximos capítulos. Mas você vai me ver aqui por um tempo”, garantiu Toto Wolff.

Ouça os programas do GRANDE PRÊMIO no formato de podcast:
Anchor | Apple | Spotify | Google | Pocket Cast | Radio Public | Breaker

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube