Mercedes vê calendário lotado como “teste” para ter motor “confiável e com desempenho”

Hywel Thomas, diretor-executivo da Mercedes AMG High Performance Powertrains, destacou as mudanças feitas na unidade de potência para 2024 e ressaltou que desafio será a confiabilidade com 24 corridas no calendário

A Mercedes lançou na manhã desta quarta-feira (14) o W15, seu carro para a temporada de 2024 da Fórmula 1. Depois de passar em branco em 2023 e não conquistar uma vitória sequer, o time alemão busca voltar a brigar por triunfos. Um dos trunfos da equipe nos últimos anos tem sido a confiabilidade, algo que foi novamente o foco da divisão de motores chefiada por Hywel Thomas.

“Neste ponto do ciclo regulatório, existem poucas oportunidades para desenvolvermos a unidade de potência. Podemos fazer atualizações necessárias na área de confiabilidade, e um único lançamento de software a cada ano, então temos trabalhado nisso. Aproveitamos a oportunidade para atualizar a unidade de potência nessas duas áreas”, contou o engenheiro britânico.

“Apesar do congelamento, é um grande desafio de confiabilidade para todas as fábricas de unidade de potência. Não terminar as corridas é muito prejudicial para a classificação final do campeonato, então a confiabilidade é sempre um foco enorme. E, claro, estamos sempre olhando para o desempenho e buscando aqueles milissegundos que podemos encontrar dentro do regulamento”, ressaltou Thomas.

James Allison, Lewis Hamilton, Toto Wolff, George Russell e Hywel Thomas apresentaram o W15 (Foto: Mercedes)

A questão da confiabilidade se torna um desafio ainda maior com o inchaço do calendário da Fórmula 1, que em 2024 terá um número recorde de corridas, sendo 24 no total. Ainda que a categoria tenha aumentado o limite de motores para quatro ao longo das duas próximas temporadas, Hywel destacou que manter a unidade de potência operando em alto nível durante bastante tempo será um grande desafio.

“Sabemos que a unidade de potência não vai produzir o mesmo número de quilowatts no final do seu ciclo de vida como faz no início. Sabemos também que não terminar as corridas é extremamente prejudicial para a pontuação, então a confiabilidade é crucial. A recente mudança nos regulamentos para nos permitir ter quatro unidades de potência ao longa da temporada é útil, mas sabemos que, com o maior calendário da história da F1, nossa capacidade de criar o produto mais confiável e com mais desempenho possível será testada”, disse o gerente de motores da Mercedes.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Mercedes apresentou o W15 da temporada 2024 da F1 (Foto: Mercedes)

Se a Mercedes não conseguiu incomodar a Red Bull durante praticamente toda a temporada de 2023, pelo menos a McLaren, equipe cliente de motores, apareceu no último semestre como desafiante. Hywel disse que o desempenho dos parceiros serve de motivação para o time alemão e destacou o orgulho de ajudar equipes a competir no topo.

“Motiva. Tem um orgulho enorme envolvido em cada unidade de potência que montamos, em cada instalação que fazemos, em cada fim de semana de corrida que apoiamos. Tem muitas pessoas representando a HPP integrando todas essas equipes. Temos orgulho em poder fornecer uma unidade de potência que permita que essas equipes compitam no topo do esporte”, concluiu Thomas.

Fórmula 1 retorna às pistas de 21 a 23 de fevereiro, com os testes coletivos da pré-temporada no Bahrein, no circuito de Sakhir.

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.