Na Garagem: Ferrari tira vitória de Massa com ‘Fernando is faster than you’

Foi exatos dez anos atrás, em 25 de julho de 2010, que Felipe Massa precisou entregar a vitória no GP da Alemanha para Fernando Alonso. A corrida, hoje folclórica, confirmou o espanhol como líder e o brasileiro como segundo piloto

O Brasil, outrora tão poderoso no automobilismo, fraquejou ao longo da década passada. Talentos pararam de surgir e a representação na Fórmula 1 acabou. Briga por vitória virou raridade. Conseguir, impossibilidade. Exatos dez anos atrás, o país viu uma nova chance desperdiçada. E de forma cruel: em 25 de julho de 2010, a Ferrari avisou Felipe Massa que ‘Fernando is faster than you’, usando ordens de equipe para deixar Fernando Alonso triunfar no GP da Alemanha, em Hockenheim.

Para entender a importância e o simbolismo daquele 25 de julho de 2010, é necessário recordar o que aconteceu ao longo do primeiro semestre. A Ferrari até começou o campeonato bem, com vitória, mas acabou perdendo terreno contra Red Bull e McLaren, as outras grandes forças daquele ano. Ao contrário do que muitos pensam, Massa ainda era combativo e chegou até mesmo a liderar o Mundial de Pilotos após três GPs. O brasileiro parecia capaz até mesmo de brigar de igual para igual com Alonso, mas faltava carro.

O desenvolvimento da Ferrari só deu retorno no GP da Alemanha. Sebastian Vettel fez pole, mas tinha Alonso em segundo e Massa em terceiro no grid. A turma de Maranello pôde sorrir ainda mais quando o alemão patinou na largada e o brasileiro partiu como um foguete. Ao fim da primeira volta, Felipe liderava Fernando. Ambos abriam vantagem e encaminhavam uma dobradinha ainda nas voltas iniciais.

A Ferrari decidiu que Fernando Alonso precisava vencer em Hockenheim (Foto: Ferrari)

A corrida seguiu sem grandes acontecimentos até a volta 48 de 67. Foi aí que Massa ouviu do engenheiro Rob Smedley palavras que se tornariam icônicas: ‘Fernando is faster than you. Can you confirm you understood that message?’ [Fernando está mais rápido do que você. Você pode confirmar que entendeu esta mensagem?].

Não era uma frase inédita: no GP da Austrália, a Ferrari tentou a mesma coisa. Na ocasião, o brasileiro rejeitou as ordens de equipe e cruzou a linha de chegada à frente do espanhol. Mas não sem consequências: muito por conta do patrocínio do Santander, Alonso já era o primeiro piloto, posição garantida por contrato. A rebeldia de Massa, portanto, não seria tolerada novamente. Com risco de ver a passagem por Maranello abreviada, não restou alternativa: em Hockenheim, ao contrário de Albert Park, Felipe abriu caminho para Fernando.

Smedley sabia a dimensão do que estava acontecendo e retornou ao rádio: ‘Ok, mate. Good lad. Just stick with him now. Sorry’ [Ok, cara. Bom garoto. Fique atrás dele agora. Desculpa]. E assim foi: Massa precisou se defender de Vettel no fim, mas garantiu dobradinha da Ferrari.

A vitória colocou Fernando Alonso na luta pelo título. Que não veio (Foto: Ferrari)

As ordens de equipe foram o grande assunto pós-GP. Massa minimizou o acontecimento, entendendo que Alonso tinha mais chances de ser campeão e precisava dos pontos. A Ferrari, muito por questões legais, nunca admitiu a ação: o chefe Stefano Domenicali disse que foi decisão do brasileiro abrir caminho para o espanhol. Este, por sua vez, disse que não sabia de nada e que achou que o companheiro tinha problemas mecânicos. A escuderia foi julgada pela FIA, mas escapou somente com multa de US$ 100 mil (ou R$ 177,6 mil na cotação da época).

É inegável, entretanto, que a inversão de posições deu novo fôlego para Alonso na caça ao título. Com 123 pontos, o piloto ficava 34 atrás do líder Lewis Hamilton. Parece muito, mas uma série de sete pódios em oito corridas deixou o espanhol líder e favorito ao título. Como sabemos, não rolou: em Abu Dhabi, uma estratégia errada deixou o espanhol preso em sétimo, atrás de Vitaly Petrov. Sebastian Vettel venceu e levou o título.

Para Massa, o GP da Alemanha foi um divisor de águas. A corrida acabou com qualquer esperança de luta por protagonismo na Ferrari, com a disparidade de resultados em relação a Alonso crescendo rapidamente no segundo semestre. Entre altos e baixos, a situação seguiu inalterada até o fim da passagem do brasileiro por Maranello, em 2013.

Tudo isso por cinco palavrinhas: Fernando is faster than you.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube