Na Garagem: Hülkenberg surpreende na chuva e faz pole com Williams no Brasil

O alemão Nico Hülkenberg, há cinco anos, levou a melhor em um treino classificatório disputado sob forte chuva em Interlagos e conquistou uma improvável pole-position com a mediana Williams no GP do Brasil de 2010

Cinco anos já se passaram do dia em que Nico Hülkenberg conquistou uma surpreendente pole para o GP do Brasil de 2010, debaixo de forte chuva em Interlagos.

Foi em 6 de novembro, na penúltima etapa de uma temporada que tinha nada menos que cinco pilotos ainda com chances matemáticas de título.

 
Hülkenberg, que nada tinha a ver com aquilo, sabia que corria pelo emprego. Campeão da GP2 em 2009, ele conseguiu a chance de estrear na F1 pela Williams em 2010. No entanto, com o time precisando de dinheiro, o alemão passou a ser ameaçado pelo campeão de 2010 da GP2, o venezuelano Pastor Maldonado. Como se sabe, Maldonado ficou com a vaga e Hülkenberg passou 2011 na reserva da Force India antes de voltar ao grid em 2012.
Hülkenberg, levantando muita água, fez a pole em Interlagos (Foto: Williams/LAT)
Enfim, o que importa aqui é 2010, e Hülkenberg fez o melhor que podia com um carro não mais que mediano. Pelo segundo ano seguido, choveu forte no treino classificatório em São Paulo. Em 2009, Rubens Barrichello brilhou com a Brawn GP. Em 2010, foi a vez do incrível Hülk.
 
Com a pista melhorando a cada volta no Q3, a pole se tornou uma questão de estar no lugar certo, na hora certa. Acabou que Nico foi um impressionante 1s049 mais rápido que Sebastian Vettel, então em busca do primeiro título. Mark Webber, Lewis Hamilton e Fernando Alonso seguiram.
 
Após os treinos livres, Hülkenberg estava reticente até mesmo quanto à classificação da Williams para o Q3. Imagine então se alguém lhe dissesse que ele faria a pole… “Eu não esperava fazer a pole, mas a equipe me deu um carro que andou muito bem nestas condições, e eu encaixei uma volta perfeita. Meu engenheiro entrou no rádio e disse que eu estava na pole, mas eu não pude acreditar. É uma sensação incrível”, declarou após a sessão. 
 
Dono da casa, Barrichello foi o sexto, igualando seu melhor desempenho em um sábado naquele ano. Foi, também, a única pole-position de um carro com motor Cosworth na F1.
Barrichello fez a festa com Hülkenberg no box da Williams. O único que ficou nervoso no box do time foi Dudu, filho do brasileiro, então com cinco anos, que não gostou de ver o alemão ganhando do pai em casa. Mas, depois, foi parabenizar Hülk pelo feito (Foto: Williams)
“Temos que nos manter realistas para a corrida, e estou ciente de que há pilotos brigando pelo título, mas nós vamos brigar por posição e vamos fazer tudo o que pudermos para conseguir um bom resultado. Por enquanto, muito obrigado à Williams por me dar um carro tão bom hoje. Estou feliz demais e quero curtir o momento!”
 
Nico, como se sabe, sequer chegou à primeira curva como líder, e terminou a prova só na 12ª posição. Até hoje, o mais perto que o alemão chegou da dianteira do grid foi no GP da Itália de 2013, largando em terceiro com a Sauber.
Hülkenberg perdeu a ponta já na largada do GP do Brasil de 2010 (Foto: Williams/LAT)

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube