Nasr fala em primeira parte de temporada de altos e baixos na estreia na F1 e confia em reviravolta da Sauber

Felipe Nasr fez uma avaliação de sua primeira metade de temporada na F1. O brasileiro, estreante neste ano, disse que a fase inicial foi de altos e baixos, mas que a Sauber segue na direção correta com o desenvolvimento do carro. O piloto ainda se mostrou confiante nas atualizações do C34 para a segunda parte do campeonato, a partir do GP da Bélgica, no fim de agosto

Disputando seu primeiro ano na F1, Felipe Nasr fechou a parte inicial da temporada com 16 pontos e a 12ª posição no Mundial de Pilotos, tendo como grande destaque o desempenho no GP da Austrália, que abriu o campeonato, em março. Em Melbourne, o jovem conseguiu o melhor resultado de um brasileiro na estreia na maior das categorias, com o quinto lugar. E na análise que fez destes primeiros meses, Nasr definiu aquela performance como "impressionante e muito especial". Mas também disse que a primeira experiência na F1 tem sido de altos e baixos.

Felipe ainda enfatizou que, apesar das limitações da equipe suíça, o desenvolvimento do C34 corre na direção certa. "Acho que, olhando para o início do campeonato, nós conseguimos atingir a maioria dos objetivos que traçamos para a primeira metade da temporada", afirmou o brasiliense em sua avaliação, a pedido da própria da Sauber, deste início de 2015.

Felipe Nasr fechou a primeira parte da temporada da F1 na 12ª colocação (Foto: Beto Issa)

"Nós maximizamos as nossas oportunidades, especialmente no começo do ano, quando fomos capazes de marcar pontos importantes. O resultado do GP da Austrália foi impressionante. Terminar em quinto foi algo realmente especial para mim, assim como para a equipe", declarou.

Nasr, entretanto, também mostrou um lado realista da situação atual do time de Hinwil. E pediu paciência. "No momento, estamos em um período muito difícil. Mas teremos atualizações para as etapas de Spa-Francorchamps e Cingapura, por isso temos de ser pacientes. Estamos no meio da temporada, e acho que estamos seguindo na direção certa. Para mim, como piloto, estou aprendendo a cada fim de semana. É meu primeiro ano como piloto de F1e tem sido de altos e baixos", definiu o brasileiro.

Falando nos melhores momentos, Felipe destacou, além do resultado em si no Albert Park, a disputa que viveu com o dono da casa, Daniel Ricciardo, nas voltas finais. "Com certeza, a quinta colocação em Melbourne foi o grande destaque desta primeira fase. Durante a corrida, eu acho que me sai bem e mantive Daniel atrás. Ele colocou pressão, mas eu consegui manter tudo sobre controle. O outro destaque, para mim, foi em Mônaco. Foi realmente difícil de pilotar lá e apenas guiei no limite. No fim, terminei em nono", contou.

E o ponto mais baixo da temporada, segundo Nasr, foi realmente o acidente em Montreal, durante o terceiro treino livre, quando perdeu o controle do carro no início da reta final e bateu no muro de proteção. "No Canadá, eu enfrentei problemas de freios durante todo o fim de semana. E, em cima disso, cometi um erro no TL3 e acidentalmente acionei o DRS durante o aquecimento dos pneus. Mas eu aprendi muito com isso", admitiu o piloto.

Nasr também falou sobre a expectativa para a segunda fase da temporada, que terá início no fim de agosto, com o GP da Bélgica. E destacou a ansiedade por andar pela primeira vez em pistas como Suzuka, no Japão, além da etapa do México, que volta ao calendário neste ano. O brasileiro, claro, também depositou as fichas nas atualizações da Sauber e se disse confiante no desempenho mais frequência na zona de pontuação.

"Durante a segunda metade do campeonato, há pistas em que vou andar pela primeira vez com um carro de F1, como no Japão. O GP do México volta ao calendário, mas é novo para todos. Mas estou realmente ansioso pelas atualizações. Como ainda não andamos com o carro, não podemos prever com exatidão como será. O alvo, claro, são os pontos. No Mundial, nós caímos algumas posições e acho que não será fácil subir novamente. Porém, eu ainda me sinto confiante de que as atualizações vão nos ajudar a conquistar posições melhores", explicou Felipe.

O piloto de 22 anos agora volta ao Brasil, aproveitando o período de férias da F1. A Sauber também fecha as portas entre os dias 1º e 16 de agosto. "Estarei de volta ao Brasil. Faz tempo que estou fora e estou ansioso para ver a minha família e os meus amigos em Brasília. Mas ainda vou continuar treinando e mantendo o foco. É importante encontrar um equilíbrio neste tempo entre as corridas. A pausa é pequena, mas pretendo voltar cheio de energia e confiança para a segunda parte do ano", encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube