“Nem Batman dá jeito se carro for ruim”: Briatore vê desafio para Hamilton na Ferrari

Para ex-chefe da Renault e Benetton na Fórmula 1, mudança só será acertada para o britânico se Ferrari for competitiva

Figura controversa nos bastidores da Fórmula 1, Flavio Briatore falou sobre a opção de Lewis Hamilton, que vai deixar a Mercedes ao final de 2024 para ser companheiro de Charles Leclerc a partir de 2025. O dirigente afirmou que o time de Maranello precisa fazer um carro competitivo para que essa mudança seja positiva. Utilizando uma metáfora, o italiano diz que se o bólido não for bom, nem Batman dará jeito.

“Eu fiquei muito surpreso por Hamilton se mudar para a Ferrari, ele deve ter suas razões. A única coisa que posso dizer é desejar o melhor, mas ele vai se acostumar com a realidade”, disparou Briatore ao LaPresse.

“Se concordo com a escolha? Eu não sei. Você precisar estar no carro certo, não adianta ter o Batman na equipe se o carro não for competitivo, pois o piloto não poderá fazer a diferença. É essencial que a máquina funcione”, completou.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Briatore fala da necessidade de carro competitivo para dupla de 2025 da Ferrari (Foto: Lillian Suwanrumpha/AFP)

Após deixar seus pitacos sobre a mudança de Hamilton, o italiano optou por não cornetar a escolha da Ferrari em manter Charles Leclerc e não renovar o contrato de Carlos Sainz, o único piloto capaz de vencer uma corrida em 2023 fora da Red Bull.

“Para mim, Leclerc e Sainz são parecidos e a escolha foi feita com quem está com os pilotos diariamente. Se a Ferrari fez essa seleção, significa que é o certo para eles. No entanto, você deve dar um carro que dê aos competidores chances de vencer”, pontuou.

Hamilton vai estrear pela Ferrari quando terá 40 anos completos. Para Briatore, a idade não será um problema para o britânico e usou como exemplo seu ex-pupilo Fernando Alonso. “Chega dessa coisa de idade! Na F1, o que importa é o cronometro. Vimos o que o Alonso fez ano passado e Hamilton é dois anos mais novo”, disse.

“Estamos falando de pilotos com grande experiência. A única coisa que importa para eles é tempo de volta, a corrida, consistência e como ajudar na configuração do carro, não a idade ou altura”, finalizou.

A Fórmula 1 retorna às pistas de 21 a 23 de fevereiro, com os testes coletivos da pré-temporada no Bahrein, no circuito de Sakhir.

🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra, Escanteio SP e Teleguiado.