No 45º aniversário de Schumacher, confira lista com 45 fatos e estatísticas de sua carreira

Sabe quem foi o piloto que mais venceu corridas contra Michael Schumacher? E qual foi seu companheiro de equipe que mais subiu ao alto do pódio?

Acompanhe o noticiário completo sobre o acidente de Michael Schumacher

É no Centro Hospitalar Universitário de Grénoble, na França, que Michael Schumacher está no dia de seu 45º aniversário. O alemão, nascido em Hürth no dia 3 de janeiro de 1969, sofreu um gravíssimo acidente de esqui há cinco dias e está em coma induzido desde então. Na queda, o piloto bateu a cabeça contra uma pedra. Segundo os médicos, o capacete – que rachou no impacto – salvou sua vida.

Heptacampeão mundial de F1, Schumacher sempre gostou de esquiar em seu tempo livre. Nos eventos da Ferrari em Madonna di Campiglio, exibia-se bastante. Em Méribel, nos Alpes Franceses, onde sofreu o acidente, ele possuía um chalé. Estava lá para passar o fim de ano e o aniversário com a família.

No dia em que o maior campeão da F1 completa 45 anos, o GRANDE PRÊMIO preparou uma lista com 45 fatos e estatísticas da carreira de Michael Schumacher, recontando um pouco de sua carreira de 19 temporadas e 307 largadas na elite do automobilismo.

Schumacher comemorou o último de seus títulos mundiais no GP da Bélgica de 2004 (Foto: Ferrari)

As imagens da carreira de Michael Schumacher

1) Sete é o número de títulos de Michael Schumacher na F1, conquistados em 1994, 1995, 2000, 2001, 2002, 2003 e 2004. Além disso, venceu 91 GPs, largou 68 vezes na pole-position e subiu ao pódio 155 vezes em 307 largadas.

2) Schumacher teve dois vice-campeonatos na carreira, em 1998 e 2006.

3) Em 2006, tornou-se o piloto que mais pontos marcou em um campeonato – considerando a pontuação antiga da F1 – a ser vice-campeão, com 121. Fernando Alonso somou 134.

4) 12 é o número de campeonatos que Schumacher terminou entre os três primeiros. Recorde na F1.

5) Cinco dos títulos de Schumacher foram consecutivos, superando o recorde anterior, de Juan Manuel Fangio: quatro.

6) Schumacher defendeu quatro equipes e correu com quatro fornecedores de motor na carreira na F1. As equipes foram a Jordan, a Benetton, a Ferrari e a Mercedes. Os motores foram o Ford, o Renault, o Ferrari e o Mercedes.

7) Ao longo da carreira, Schumacher utilizou 23 carros diferentes: um da Jordan, sete da Benetton, 12 da Ferrari e três da Mercedes. O modelo mais vencedor foi o F2004.

Primeiro F1 de Schumacher foi da Jordan (Foto: Getty Images)

8) O tedesco disputou apenas uma prova pela equipe Jordan: seu GP de estreia, na Bélgica, em 1991. Duas semanas depois, na Itália, ele já era piloto da Benetton.

9) A primeira vitória de Schumacher foi conquistada no 18º GP da carreira, em Spa-Francorchamps, em 1992.

10) A primeira pole da carreira demorou bem mais que a primeira vitória: foi só no GP de Mônaco de 1994, na 42ª participação de Schumacher em um GP. Ele venceu aquele GP.

11) Schumacher marcou 22 hat tricks na carreira – pole, volta mais rápida e vitória. Recorde na F1.

12) Cinco foram as corridas em que Schumacher conseguiu o chamado grand chelém: largar da pole, marcar a volta mais rápida e vencer liderar todas as voltas. Foram elas: Mônaco 1994, Canadá 1994, Espanha 2002, Austrália 2004 e Hungria 2004.

13) Schumacher venceu 40 vezes largando da pole-position. Outro recorde.

14) É de Schumacher o recorde de vitórias em um mesmo GP: ele ganhou oito vezes em Magny-Cours, na França, nos anos de 1994, 1995, 1997, 1998, 2001, 2002, 2004 e 2006.

15) 15 é o número recorde de temporadas consecutivas em que Schumacher venceu ao menos um GP – 1992 a 2006.

16) Se Schumacher fosse uma equipe, seria a quarta maior vencedora da F1, atrás apenas de Ferrari (221), McLaren (182) e Williams (114). A Lotus viria na sequência com 81.

17) Se Schumacher fosse um país, também seria o quarto maior vencedor da F1, atrás do Reino Unido (226), da Alemanha (145), do Brasil (101) e à frente da França (79).

18) O alemão sempre foi muito criticado por se chocar contra adversários em duas disputas de título: com Damon Hill, na Austrália, em 1994, e com Jacques Villeneuve, em 1997, na Espanha. Na primeira, ele levou a melhor: ambos abandonaram, garantindo o título para o então piloto da Benetton. Na segunda, o já piloto da Ferrari abandonou – mais tarde, nos tribunais, ele também perdeu o vice-campeonato.

19) A mudança para a Ferrari aconteceu após o bicampeonato e tinha um objetivo: fazer a equipe italiana voltar a ser campeã. O último título do Mundial de Pilotos da equipe de Maranello fora conquistado em 1979, por Jody Scheckter. De Construtores, em 1983. O jejum perdurou até 1999, quando o time foi o melhor do campeonato. Em 2000, Schumacher foi tricampeão ao derrotar Mika Häkkinen na última rodada, em Suzuka.

20) Schumacher teve 11 companheiros de equipe na F1: Andrea de Cesaris, Nelson Piquet, Martin Brundle, Riccardo Patrese, Jos Verstappen, JJ Lehto, Johnny Herbert, Eddie Irvine, Rubens Barrichello, Felipe Massa e Nico Rosberg.

21) Os companheiros de equipe de Schumacher somam apenas 16 vitórias em provas em que correram no mesmo time do alemão, que ganhou 91 vezes na F1. São nove triunfos de Barrichello, dois de Herbert, Irvine e Massa e um de Rosberg.

Barrichello foi o companheiro de Schumacher que mais vitórias conseguiu (Foto: Ferrari)

22) Os cinco pilotos que mais venceram provas em que Schumacher esteve no grid foram Fernando Alonso (24), Damon Hill (22), Sebastian Vettel (21), Mika Häkkinen (19) e David Coulthard (12).

23) 14 anos, um mês e um dia: intervalo entre o GP da Bélgica de 1991 e o GP da China de 2006, o mais longo entre a primeira e a última vitória de um piloto na F1.

24) É o número de provas consecutivas em que Schumacher pontuou entre o GP da Hungria de 2001 e o GP da Malásia de 2003. Esse recorde foi quebrado por Kimi Räikkönen em 2013.

25) Irmão de Schumacher, Ralf estreou na F1 em 1997. Os dois formaram cinco dobradinhas enquanto competiram juntos. A primeira foi no GP do Canadá de 2001, liderada por Ralf. Michael venceu com o caçula em segundo no GP da França de 2001, no GP do Brasil de 2002, no GP do Canadá de 2003 e no GP do Japão de 2004.

26) Schumacher conquistou 12 vitórias em solo italiano – sete no GP de San Marino e cinco no GP da Itália –, todas por equipes italianas: foram 11 triunfos com a Ferrari e outro com a finada Benetton.

27) O alemão igualou o número de vitórias de Senna, 41, no GP da Itália de 2000. Já o recorde de Alain Prost, 51, foi igualado no GP da Hungria de 2001 e superado no GP seguinte, na Bélgica.

28) No GP da Áustria de 2002, Schumacher, junto da Ferrari, recebeu a maior vaia da vida. A equipe ordenou que Barrichello, que mereceu demais a vitória no A1 Ring, cedesse a primeira posição para o líder do campeonato, que buscava o penta. O brasileiro cumpriu a determinação na reta de chegada, em uma das cenas mais vergonhosas da história da F1.

29) A “gentileza” foi devolvida no GP dos Estados Unidos, no fim do ano, em Indianápolis. O arranjo resultou na segunda menor diferença da história da F1: 0s011 separaram Barrichello de Schumacher na linha de chegada.

2002 é o ano que melhor sintetiza o que Schumacher foi para a F1 (Foto: Getty Images)

30) É de Schumacher o melhor aproveitamento de pontos em um único campeonato: 144 de 170, ou 84,71%, em 2002. Foram 11 vitórias naquele ano.

31) 17 foi o número de pódios a que Schumacher subiu na temporada 2002 da F1, recorde igualado por Sebastian Vettel em 2013 – o piloto da Red Bull, porém, disputou 19 corridas.

32) A temporada mais vitoriosa de Schumacher foi a de 2004: ele ganhou 13 das 18 corridas disputadas – em 2013, Vettel ganhou 13 de 19.

33) Schumacher tinha tudo para igualar a marca de seis vitórias de Ayrton Senna em Mônaco em 2004. Ele liderava a disputa quando foi abalroado por Juan Pablo Montoya dentro do túnel com safety-car na pista. A liderança, então, voltou para Jarno Trulli – que venceu o único GP da vida.

34) Nos anos de 2001, 2002 e 2004, apenas a pontuação de Schumacher bastaria para que a Ferrari fosse campeã do Mundial de Construtores.

35) Schumacher demorou 18 GPs para vencer seu primeiro GP e outros 18 para vencer o segundo. Depois disso, o maior jejum de vitórias foi entre o GP dos Estados Unidos de 2005 e o GP de San Marino de 2006 – 13 GPs.

36) Schumacher e Barrichello foram os companheiros de equipe que mais dobradinhas conquistaram na F1: 24. 19 delas foram com o alemão em primeiro.

37) Outro momento polêmico da carreira foi quando Schumacher estacionou o carro na curva Rascasse, em Monte Carlo, para evitar que Fernando Alonso fizesse a pole-position para o GP de Mônaco de 2006. Os comissários não gostaram e desclassificaram o piloto do resultado do treino classificatório, obrigando-lhe a largar de último. O espanhol ficou com a pole e venceu.

38) Schumacher venceu pelo menos cinco vezes em dez circuitos. Foram cinco vitórias em Monza, Indianápolis, Nürburgring e Mônaco, seis em Suzuka, Barcelona e Spa-Francorchamps, sete em Ímola e Montreal e oito em Magny-Cours.

Homenagem de Pelé a Schumacher aconteceu no grid de largada em 2006 (Foto: Ferrari)

39) Schumacher se aposentou da F1 pela primeira vez no final de 2006. Na última corrida, em Interlagos, ele recebeu uma homenagem do maior jogador de futebol de todos os tempos, Pelé. Após a largada, deu show depois de cair para último com um pneu furado e fez várias bonitas ultrapassagens até terminar em quarto lugar.

40) No retorno à F1 com a Mercedes, aos 40 anos, Schumacher decepcionou e foi só o nono colocado no Mundial de 2010. Ele terminou em oitavo no ano seguinte e só em 13º em 2012. O único pódio foi o terceiro lugar no GP da Europa de 2012.

41) 19 foi o maior número de posições ganhas por Schumacher em um único GP. Foi na Bélgica, em 2011, quando ele largou em 24º e terminou em quinto.

42) O 300º GP de Schumacher na F1 foi na Bélgica, em 2012.

43) Schumacher tinha 43 anos quando decidiu se afastar da F1 em definitivo, no fim da temporada 2012.

44) Michael Schumacher somou um total de 1.566 pontos em suas 307 largadas na F1.

45) Nessas 307 largadas, disputou 24.148 voltas, totalizando 81.208 km. Foram 5111 voltas na liderança – 16.825 km.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube