Novo diretor-executivo da McLaren fala em melhorar envolvimento dos fãs e diz que F1 pode aprender com Super Bowl

Novo diretor-executivo da McLaren, Zak Brown avaliou que a F1 precisa trabalhar para melhorar o envolvimento dos fãs com o esporte. Dirigente acredita que o Mundial pode aprender com o Super Bowl, a decisão do futebol americano

 

Novo diretor-executivo da McLaren, Zak Brown acredita que a F1 pode aprender muito com o Super Bowl, o jogo decisivo do campeonato de futebol americano.

 
Apesar a expressiva popularidade global da F1, a audiência televisiva despencou nos últimos anos, caindo para 400 milhões em 2015 em comparação com os 600 milhões de 2008.
Zak Brown quer melhor atuação da F1 nas mídias digitais (Foto: McLaren)

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 3
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Questionado sobre como esta tendência pode ser revertida, Brown considerou que o próprio formato do fim de semana pode ser repensado: “Acho que precisamos dar uma olhada no formato do fim de semana, em como interagimos com o consumidor nas arquibancadas e em como podemos aproximá-los do nosso time e dos pilotos”.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

“Além disso, vamos para essas cidades e é um grande evento. Acho que o Super Bowl faz um trabalho excelente. Se você olhar, quando eles fazem o Super Bowl, o nível de envolvimento dos fãs: eles chegam na cidade uma semana antes, tomam conta da cidade, tomam conta dos hotéis e dos aeroportos”, comentou. “Nós temos 21 Super Bowls que fazemos ao redor do mundo. Então eu gostaria de ver isso no mercado”, seguiu.
 
Por fim, o dirigente afirmou que a F1 precisa fazer mais em plataformas digitais e espera que este seja o caminho adotado com a chegada do Liberty Media.
 
“Acho que digital, todos nós falamos sobre isso, que é veloz, tem um ritmo rápido e está evoluindo, o que funcionou ontem pode ou não funcionar amanhã, e acho que o Liberty tem esse histórico de mídia e, especificamente Chase [Carey] vem do mundo da mídia. Tenho grandes expectativas de que eles farão grandes coisas nessa área, que, no fim, é como atingimos a maior audiência possível”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube